A Chechênia redigiu um projeto de lei para proibir a mídia de mencionar a nacion

O presidente do parlamento checheno, Magomed Daudov, apresentou um projeto de lei federal, que se propõe a alterar a lei sobre os meios de comunicação e o Código Administrativo no sentido de mencionar a nacionalidade do criminoso. Em um futuro próximo, o projeto de lei deve ser submetido à Duma, informa a Grozny State Television and Radio Broadcasting Company.

"Propõe-se a proibição da divulgação nos meios de comunicação, bem como nas redes de informação e telecomunicações, de informação sobre a nacionalidade, religião e pertença aos povos da Federação Russa de pessoas envolvidas na prática de crimes," diz o rascunho.

A lei também propõe definir a responsabilidade administrativa dos meios de comunicação pela indicação da nacionalidade ou religião do infrator.

A nota explicativa do projeto diz que a divulgação de tais informações "ofende os sentimentos nacionais e religiosos" de pessoas respeitáveis. Os autores do projeto querem evitar uma possível explosão social, inimizade interétnica ou sectária, bem como consequências imprevisíveis para todo o país.

Segundo os autores do projeto de lei, muitas vezes são veiculados materiais provocativos na mídia ou redes sociais que provocam uma atitude negativa em relação a uma determinada etnia e incitam ações violentas. Essas informações criam uma atmosfera tensa e solo para conflito.

O deputado estadual da Duma, Sultan Khamzaev, falou anteriormente sobre uma proibição semelhante para a mídia. A declaração foi feita em meio a vários incidentes em Moscou envolvendo representantes de grupos étnicos.