Gangue da Ribeira: 6 detidos libertados

Seis dos indivíduos ligados ao designado "gangue da Ribeira", que haviam sido detidos pela PJ por suspeitas de homicídios e de integrar um grupo terrorista, foram ontem libertados por um Tribunal do Porto, informa o Jornal de Notícias . Bruno “Pidᔠe os outros cinco restantes permanecem detidos.

Dos seis arguidos soltos, três ficaram apenas obrigados a apresentações quinzenais às autoridades; os restantes três estão sujeitos somente a termo de identidade e residência - a medida de coacção mínima. Para não impor medidas de coacção mais graves, Anabela Tenreiro, a mais recente magistrada no TIC, terá considerado que o envolvimento daqueles elementos nas alegadas actividades ilícitas não estaria suportado por indícios suficientemente fortes.

 E que o "núcleo duro" do grupo, e sobre o qual as suspeitas são mais intensas, está circunscrito aos cinco arguidos que passaram mais uma noite na cadeia da PJ.

Contra Bruno "Pidá", alegado líder do designado "grupo da Ribeira", a investigação da PJ do Porto reuniu até ao momento indícios da prática de dois alegados homicídios qualificados (Aurélio Palha e Ilídio Correia), nove tentativas de homicídio e um de detenção de arma proibida.

 A viúva do último segurança assassinado (na noite de 10 de Dezembro) deverá ter segurança pessoal, ao abrigo de do regime de protecção de testemunhas.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal