Presidente da Pravda.Ru comenta sobre o bloqueio da rede na Alemanha no Facebook*

O Presidente da Pravda.Ru Vadim Gorshenin comentou sobre o apelo da Alemanha para restringir o acesso ao conteúdo da rede no Facebook*. Como Gorshenin escreveu no seu canal de Telegram, o Facebook* bloqueando os materiais do Pravda.Ru após o pedido de Berlim revela que as decisões do país não correspondem aos direitos democráticos básicos.

O chefe do Pravda.Ru Vadim Gorshenin comentou sobre o apelo da Alemanha para restringir o acesso ao conteúdo da rede no Facebook*. Como Gorshenin escreveu no seu canal de Telegramas, o Facebook* bloqueando os materiais do Pravda.Ru após o pedido de Berlim revela que as decisões do país não correspondem aos direitos democráticos básicos.

"As autoridades alemãs exigiram que o Facebook limitasse a exibição da versão inglesa do Pravda.Ru na Alemanha. O Facebook acatou o pedido da Alemanha. Olaf Scholz! Se tem medo do que apenas dois empregados do Pravda.Ru estão a fazer, e os seus subordinados escrevem delações aos meios de comunicação social sobre o conteúdo criado por estes empregados, simplesmente não é um chanceler, mas sim um escriturário insignificante. A Alemanha dificilmente satisfaz os requisitos de um país que pretende ser democrático", disse ele.

Gorshenin observou também que as ordens de Sholz transformam uma grande nação numa colónia "tanto em termos ideológicos como económicos".

"Pode-se restringir o Pravda.Ru no Facebook. Mas não está em seu poder limitar a capacidade dos alemães de ler o que dois empregados do Pravda.Ru estão a fazer. Tenho pena de si. Sois o chanceler mais insignificante de toda a sua história de um outrora grande país", concluiu o chefe do Pravda.Ru.

Anteriormente, o Facebook restringia o acesso à versão inglesa do Pravda.Ru, após o pedido legal de Berlim dirigido à rede social.

"O acesso à sua Página foi restringido devido a um pedido legal. Após uma revisão de um pedido legal sobre a sua Página, restringimos o acesso à mesma nos seguintes locais: Alemanha", diz a notificação oficial recebida pelo Pravda.Ru.

* pertence a Meta, que é reconhecida como extremista e proibida na Federação Russa

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal