RÚSSIA TEM NOVA AERONAVE CIVIL

Recentemente o sector aeronáutico nacional registou um acontecimento importante: o novo avião de médio curso TU-334 obteve o certificado de classificação e o certificado de nível de ruído (ratio noise). A indústria aeronáutica russa e as companhias de transporte aéreo depositam bastante esperança nesta aeronave, que deverá vir a substituir nas linhas aéreas o antigo modelo TU-134.

No seu modelo básico, o TU-334-100 é destinado aos voos em distâncias até 3150 km, assegurando o transporte de 102 passageiros na versão turística. Já foi iniciada a produção industrial desta aeronave. Segundo estimativas de especialistas, as necessidades deste modelo no mercado interno poderão atingir 122 aparelhos até ao ano de 2010. A nova edição da aeronave suscitou o interesse de muitas companhias aéreas das repúblicas da extinta União Soviética e em outros países.

Na construção do TU-334 foram amplamente utilizados novíssimas ligas de metal e materiais compostos. A aplicação de novos materiais e tecnologias avançadas assegurou ao avião elevados parâmetros de resistência e um bastante prolongado período de vida útil, não obstante a pequena massa das estruturas. No que concerne às características técnicas dos motores, o consumo de combustível da aeronave é de 22,85 gr/passageiro-quilómetro.

A título de comparação: no B-737-500 este índice equivale a 24,5 gr, no B-737-600 - 23,0 gr, no B-717-200 - 24,6 gr, no F-100 - 25,3 gr, no BaE146 - 26,8 gr/passageiro-quilómetro. O peso de descolagem máximo do TU-334-100 equivale a 47,90 toneladas, ao passo que os F-100, A318 e B-717-200 têm este parâmetro na ordem de 44,45, 59,0 e 53,53 toneladas, respectivamente. Se no TU-334 a autonomia prática de voo com uma carga comercial média é de 3.150 km, nos modelos F-100, A318 e B-717-200 esta característica é, respectivamente, de 2.680, 2.775 e 2.270 km.

As despesas de manutenção da aeronave russa são relativamente baixas. O avião corresponde totalmente às exigências modernas quanto ao nível de ruído em voo, em terra e no salão de passageiros, assim como quanto aos parâmetros ecológicos de poluição.

Além do modelo básico do TU-334-100, que já está a ser produzido em série, o consórcio aeronáutico Tupolev continua a desenvolver uma série de versões modificadas do TU-334, que devem vir a demonstrar todas as virtudes desta aeronave. Yuri Zaitsev perito do Instituto de Pesquisas Espaciais da Academia de Ciências da Federação Russa Cortesia da RIAN

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal