Acordo de grãos da Ucrânia prejudica a soberania da Rússia

O acordo dos grãos: Kremlin decide sobre a questão da soberania russa

O Ocidente está pressionando o Kremlin para estender o acordo de grãos. A solução da questão mostrará se a Rússia se mantém como um Estado soberano.

Foi noticiado que o secretário-geral da ONU, António Guterres, entregou uma carta ao ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, na qual ele pedia ao presidente Vladimir Putin que prorrogasse o acordo de grãos (exportação de grãos da Ucrânia pelos portos de Odessa) após 14 de maio.

O acordo de grãos já foi prorrogado três vezes. Ele foi concluído com o apoio da liderança da ONU, supostamente para acabar com os problemas de fome na África e na Ásia.

A última vez que a Rússia estendeu as garantias para o corredor humanitário foi por apenas 60 dias. Os requisitos para uma nova prorrogação são os seguintes:

  • isenção de sanções contra o Rosselkhozbank (Banco Agrícola Russo) com sua conexão com o SWIFT,
  • retomada das entregas de maquinário agrícola para a Federação Russa,
  • desbloqueio de ativos estrangeiros de empresas russas relacionadas à produção e ao transporte de alimentos e fertilizantes,
  • transporte por dutos de amônia russa através do corredor.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Rússia, "ainda não há progresso certo na implementação do memorando entre a Rússia e a ONU".

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Lavrov, que está atualmente visitando Nova York como presidente do Conselho de Segurança da ONU, recusou-se a responder a perguntas sobre se o acordo seria estendido.

O cientista político Marat Bashirov disse no Telegram que a Federação Russa estendeu o acordo de grãos com a Ucrânia somente por causa da reeleição do presidente turco Recep Erdogan (14 de maio), respeitando suas qualidades de parceiro.

"Outros motivos são falsos, especialmente contra o pano de fundo da iminente "contraofensiva", ataques terroristas contra russos, fascistas e mercenários de todo o mundo que lutam na Ucrânia com o dinheiro da OTAN. Talvez esses jogos obscuros para nossos soldados e cidadãos sejam suficientes? Essa ambiguidade e obscuridade começam a nos destruir por dentro", escreveu Bashirov.

Os autores do canal do Telegram "Image of the Future" concordam com essa avaliação. No entanto, eles acreditam que o acordo de grãos será prorrogado em breve até 1º de setembro. São os representantes do "Partido da Paz" do Ministério da Defesa e da Administração Presidencial que fazem o lobby do acordo.

"O gesto de boa vontade dará aos representantes dos grupos de elite e seus filhos a oportunidade de relaxar neste verão antes das tempestades iminentes de dezembro de 2023 e março de 2024", escrevem os autores.

Ao mesmo tempo, o mesmo canal disse que o corredor de grãos garantiu entregas submarinas de drones da Noruega e do Reino Unido na véspera da contraofensiva das Forças Armadas da Ucrânia.

A declaração do Ministério da Defesa russo, que comentou sobre o ataque terrorista em Sevastopol, na Crimeia, com o uso de drones de superfície em 23 de março.

"A análise do movimento dos barcos não tripulados ucranianos mostrou que todos eles foram lançados da área aquática do porto de Odessa. Sua implantação foi realizada na área do corredor humanitário, que também estava envolvido na exportação de produtos agrícolas dos portos da Ucrânia", disse o departamento.

"Os ataques terroristas conduzidos pelo regime de Kiev colocam em risco a próxima extensão do acordo de grãos após 18 de maio", acrescentou o Ministério da Defesa.

O canal de telegrama ucraniano "Zerada" disse que os russos provavelmente retirariam sua carta de garantias de segurança para navios comerciais após os ataques de Sevastopol. As companhias de seguro se recusarão a segurar as mercadorias, e a UE fechará o corredor terrestre que era usado para exportar 1/8 dos grãos".

Os grãos terão de ser armazenados, e o regime de Kiev e as corporações transnacionais ocidentais perderão uma grande fonte de renda.

Parece que a Rússia precisa fechar o acordo, pois ele prejudica a soberania da Federação Russa.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin
X