Putin sugere um cessar-fogo natalício na Ucrânia. Zelensky diz que não

A Ucrânia perplexa com a decisão de Putin de cessar-fogo no Natal

O Presidente russo Vladimir Putin deu instruções ao Ministério da Defesa para implementar um cessar-fogo ao longo de toda a linha de contacto na zona da operação militar especial no dia de Natal, disse uma mensagem publicada no website do Kremlin.

O cessar-fogo entrará em vigor de 12:00 de Janeiro 6 a 24:00 de Janeiro 7 (hora de Moscovo). A decisão foi tomada após o pedido de cessar-fogo do Patriarca Kirill.

"Com base no facto de um grande número de cidadãos que professam Ortodoxia viverem nas áreas de hostilidades, apelamos ao lado ucraniano a declarar um cessar-fogo e dar-lhes a oportunidade de assistir aos serviços na véspera de Natal, bem como no Dia da Natividade de Cristo", diz a mensagem.

A 5 de Janeiro, o Patriarca Kirill de Moscovo e Toda a Rússia apelou a uma trégua na Ucrânia e no Donbass para que os crentes ortodoxos pudessem celebrar o Natal em paz. O patriarca também indicou a hora da trégua - das 12:00 de 6 a 24:00 de 7 de Janeiro.

O Ministro da Defesa russo Sergei Shoigu ordenou aos militares russos que cessassem o fogo.

Zelensky rejeitou a proposta de Putin

Entretanto, o Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky respondeu à proposta de cessar-fogo de Putin para o Natal. Sob o pretexto de tréguas, a Rússia tenta esconder novos passos de "agressão", Zelensky escreveu no seu canal de Telegramas.

"A Rússia não conseguirá esconder os seus preparativos para uma nova onda de agressão contra a Ucrânia e a Europa", escreveu Zelensky.

Ao tirar partido da trégua, a Rússia apenas irá reforçar a sua posição na linha de contacto, acrescentou ele.

Mikhail Podolyak, conselheiro do chefe do gabinete do Presidente da Ucrânia, também respondeu à proposta de Putin de cessar-fogo na zona de operações especiais no dia de Natal.

A Rússia deve partir para as tréguas que se avizinham

"A Rússia deve deixar os territórios ocupados para começar uma "trégua temporária"", disse Podolyak.

Denis Pushilin, chefe interino nomeado por Putin da República Popular de Donetsk (DPR), disse que "não se pode falar de qualquer trégua".

"A decisão diz respeito a um cessar-fogo ou a uma acção ofensiva da nossa parte". Isto não significa que não vamos responder às provocações do inimigo", disse Pushilin.

Oleksiy Danilov, Secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, afirmou:

"Vamos ser práticos aqui. A quem estão eles a oferecer esta trégua? A eles próprios? Há uma solução bastante simples: pegam nas suas malas, pegam nos seus pertences e vão para a Rússia. É isso mesmo. Não há negociações com eles... Foi o padre deles que arranjou uma data. Não tem nada a ver connosco. Esta é a nossa terra. Faremos o que achamos que devemos fazer na nossa terra".

 

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin
X