O Tribunal de Haia julga a Rússia inocente da queda do vôo MH17. Foi abatido por engano

A decisão do Tribunal de Haia sobre o acidente do Boeing 777, vôo MH17 da Malásia, parece politizada, pois não foram apresentadas provas sólidas, disse Leonid Slutsky, o chefe do Comitê de Assuntos Internacionais da Duma do Estado, segundo relatórios da RIA Novosti.

Os especialistas russos não foram autorizados a participar das atividades da equipe de investigação conjunta no caso MH17, acrescentou ele.

"A decisão, é claro, é politizada. Não podemos concordar com ela", disse Slutsky.

Vladimir Dzhabarov, primeiro chefe adjunto do Comitê Internacional do Conselho da Federação, disse que a decisão do Tribunal de Haia sobre a queda do Boeing da Malásia sobre Donbass era legalmente nula e sem efeito.

O Tribunal de Haia sentenciou três homens a prisão perpétua

Em 17 de novembro, o Tribunal de Haia condenou Igor Girkin (Strelkov), Sergey Dubinsky e Leonid Kharchenko a prisão perpétua à revelia, declarando-os culpados da morte de 298 passageiros a bordo do Boeing da Malásia, vôo MH17, em 2014. O nacional russo Oleg Pulatov foi absolvido.

O tribunal avaliou a compensação total para os parentes das vítimas do acidente em 16 milhões de euros.

O Boeing 777 da Malásia em rota de Amsterdã para Kuala Lumpur caiu em 17 de julho de 2014 perto de Donetsk. Havia 298 pessoas a bordo da aeronave, todas elas foram mortas.

O Tribunal de Haia reconheceu a falta de culpa da Rússia e a responsabilidade direta como réu pelo uso do sistema de defesa aérea Buk contra o vôo MH17. Os juízes holandeses consideraram assim Igor Girkin (Strelkov), Sergey Dubinsky e Leonid Kharchenko culpados da tragédia.

O juiz Hendrik Steenhuis sentenciou o acusado a prisão perpétua à revelia.

A audiência do Tribunal Distrital de Haia começou na quinta-feira, 17 de novembro. Durante a audiência, foi lido o veredicto no caso do acidente da Boeing. O tribunal decidiu que o Boeing 77 da Malaysia Airlines caiu quando um sistema antiaéreo Buk lançou um míssil no jato da área próxima à vila de Pervomaisky. Os juízes concluíram que o vôo MH17 foi derrubado por engano quando foi levado para uma aeronave militar.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin