Kremlin responde a opiniões negativas sobre o recuo das tropas de Kherson

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, respondeu às avaliações negativas que vários especialistas e analistas deram à decisão do comando russo de retirar as tropas da margem direita do rio Dnieper.

Há muitos especialistas, as opiniões são diferentes, mas a operação militar especial continua, disse Peskov.

"Ouça, há muitos especialistas diferentes, há especialistas que dizem como você diz, há especialistas que dizem o contrário, não gostaríamos de comentar o que eles dizem agora. A operação militar especial continua", disse Dmitry Peskov aos repórteres em 11 de novembro.

Kherson para continuar fazendo parte da Rússia

Após a retirada das tropas russas para a margem esquerda do Dnieper, a região de Kherson continuará fazendo parte da Rússia, disse também Dmitry Peskov, relatórios da TASS.

"A região de Kherson é um assunto da Rússia, esta entidade foi definida por lei". Não há e não pode haver nenhuma mudança", disse o secretário de imprensa presidencial.

Anteriormente, Peskov lembrou que a decisão de reagrupar as tropas foi tomada pelo Ministro da Defesa Sergei Shoigu e pelo Comandante da operação especial, General Sergei Surovikin. Portanto, observou o porta-voz do Kremlin, é o Ministério da Defesa que deve ser contatado para comentários sobre a situação em Kherson.

Em 9 de novembro, ficou sabido que Surovikin e Shoigu consideraram oportuno organizar a defesa ao longo da margem esquerda do Dnieper. A manobra foi decidida para ser realizada em um futuro próximo.

Em 10 de novembro, foi relatado que as tropas russas procederam a sua evacuação conforme planejado.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin