Combatente de Luhansk diz que militares ucranianos mataram seus camaradas feridos

Um combatente da República Popular de Luhansk, Alexander Chupra, que foi libertado do cativeiro ucraniano, disse que representantes das Forças Armadas da Ucrânia mataram dois militares feridos da Milícia Popular de Luhansk durante sua captura, relata a RIA Novosti.

Chupra acusou as Forças Armadas ucranianas de matar seus dois camaradas feridos. O incidente ocorreu quando eles foram cercados e não puderam mais resistir. Ele tomou toda a defesa junto com outros militares Luhansk, embora em vão.

"Pensei em fazer-me de morto. Eu estava deitado, um soldado [ucraniano] veio até mim e me chutou. Ele queria me matar primeiro, mas depois ele viu que meus olhos estavam tremeluzindo com a chuva", disse Chupra.

O combatente acrescentou que foram os militares das Forças Armadas da Ucrânia, mas não os representantes dos batalhões nacionalistas, que fizeram os prisioneiros militares de Luhansk. Antes de levar os prisioneiros, os ucranianos acabaram com os feridos.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin