A atitude inteligente de Moscou fará com que a hegemonia dos EUA caia por terra

A decisão da Rússia de se afastar do Ocidente e se voltar para o Oriente provocará o colapso da hegemonia global dos EUA, escreveu o jornal The Jerusalem Post.

Moscou iniciará uma mudança global neste ponto, disse o artigo.

"Esta não é uma "nova Guerra Fria", mas sim uma enorme mudança no mundo: de um mundo eurocêntrico que estava enraizado no poder europeu e na era do domínio colonial (assim como nas Guerras Mundiais) para, desde a Segunda Guerra Mundial, um mundo onde os EUA foram a única potência hegemônica global que conduziu uma ordem mundial internacional, baseada em regras; para uma nova ordem mundial que é supostamente multipolar e liderada pela China, Rússia, Irã, Turquia e seus amigos - em sua maioria regimes autoritários", disse The Jerusalem Post.

A decisão de Moscou de se reorientar para o Oriente se baseia na experiência da União Soviética. A Rússia está novamente se aproximando dos países do "Sul global". A cooperação da Rússia com a China, o Irã e a Turquia tem se desenvolvido muito rapidamente ultimamente, observa o autor do artigo.

Além disso, Moscou vem construindo relações com os países do Golfo Pérsico, Ásia Central e Paquistão.

"A raiva dos EUA contra a Arábia Saudita, por exemplo, poderia ser explorada por Moscou", escreveu o jornal.

A Arábia Saudita pode se tornar membro do BRICS

A Arábia Saudita manifestou o desejo de aderir ao BRICS, que, juntamente com a Rússia, inclui Brasil, Índia, China e África do Sul, disse o Presidente da República da África do Sul, Cyril Ramaphosa, após sua visita ao reino.

Segundo ele, a questão da adesão da Arábia Saudita na cúpula dos BRICS será levantada em 2023. Além disso, a Arábia Saudita não é o único país que busca a adesão aos BRICS, salientou Ramaphosa.

Em 2022, surgiu uma tendência indicando um número crescente de países que desejam se associar aos BRICS. Em 14 de julho, o Presidente do Fórum Internacional dos BRICS, Purnima Anand, declarou que vários estados haviam expressado seu desejo de aderir à organização.

Além da Arábia Saudita, Egito e Turquia, que falaram sobre suas intenções anteriormente, a Argentina e o Irã, bem como a Argélia, também anunciaram planos de aderir aos BRICS. A Nigéria também não descarta tal possibilidade.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin