O povo comum paga pelas conseqüências do conflito ucraniano, em primeiro lugar

Hungria: A Europa está em situação catastrófica por causa da Ucrânia

São pessoas comuns que pagam pelas consequências do conflito militar, e os líderes dos países da UE não puderam protegê-los, disse o Ministro das Relações Exteriores húngaro Peter Szijjártó.

As conseqüências do conflito armado na Ucrânia criaram uma situação catastrófica na Europa, disse o Ministro das Relações Exteriores húngaro Peter Szijjjarto durante a Cúpula dos Bálcãs Abertos, relata Hirado.

Em sua opinião, os líderes da UE não conseguiram proteger as pessoas comuns de pagar pelas conseqüências do conflito militar na Ucrânia. Segundo o ministro, agora é preciso descobrir como mitigar o impacto das hostilidades.

Szijjártó salientou que o conflito na Ucrânia afetou não apenas o mercado de energia, mas também o abastecimento de alimentos. Isto, por sua vez, implica um aumento dos fluxos migratórios, e a Hungria começa a sentir o influxo de migrantes em sua fronteira, explicou ele.

O chefe do Ministério das Relações Exteriores concluiu que a política de expansão deveria se tornar uma prioridade para a UE, e enfatizou que a União precisa dos Balcãs Ocidentais, se a Europa não quiser piorar ainda mais sua própria situação.

No final de agosto, o Alto Representante da UE para Assuntos Exteriores e Política de Segurança, Josep Borrell, disse que a UE logo enfrentaria sérias dificuldades devido às sanções contra a Rússia. Ao mesmo tempo, ele enfatizou que o Ocidente "deveria estar pronto para pagar o preço da liberdade".

Em meados de julho, Borrell exortou a Europa a demonstrar paciência estratégica. Mesmo que as sanções contra a Rússia não tenham provado ser tão eficazes quanto o Ocidente originalmente supôs, o efeito das sanções virá para a economia russa no futuro próximo.

"Não temos outra escolha". Se deixássemos a Rússia ganhar vantagem, deixaríamos então a Rússia destruir nossas democracias e a própria base da ordem mundial baseada em regras internacionais", declarou ele.

Contra o pano de fundo da operação militar russa na Ucrânia, os preços dos recursos energéticos na Europa e em muitas outras regiões do mundo aumentaram drasticamente. Isto, entre outras coisas, fez com que os países europeus experimentassem uma inflação recorde em várias décadas. Na zona do euro, a taxa de inflação subiu a um recorde de 8,9%.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin
X