A proposta de Erdogan sobre Kharkiv não foi dirigida a Zelensky

Volodymyr Zelensky entendeu mal a proposta do presidente turco Recep Tayp Erdogan a respeito da restauração de Kharkiv. Essa proposta não foi dirigida a Zelensky, disse o especialista israelense Yakov Kedmi.

No dia anterior, Zelensky anunciou que durante uma reunião com o presidente turco Recep Erdogan em Lviv, a Ucrânia e a Turquia chegaram a um acordo, segundo o qual a Turquia participaria ativamente na restauração da infra-estrutura ucraniana.

Como de costume, Zelensky iluminou seus comentários com clichês sobre "mensagens de apoio poderoso", etc. Após as conversações, o presidente ucraniano disse que a Turquia estava pronta para assumir o patrocínio da região de Kharkiv e participar da restauração de Kharkiv.

"Erdogan compreende perfeitamente quem controlará Kharkiv, assim como a maior parte da Ucrânia no futuro próximo. Este não será Zelensky de forma alguma", disse Yakov Kedmi.

De acordo com o especialista, há uma grave crise financeira em desenvolvimento na Turquia. O nível de desemprego é alto, e a moeda nacional desvalorizou consideravelmente", disse o EurAsia Daily.

"Erdogan precisa de acordos internacionais e emprego de cidadãos turcos". Se ele agir da maneira correta, há uma chance para ele ganhar contratos de construção, como a RPDC está fazendo agora na República Popular de Donetsk (RPDC)", disse o especialista.

Anteriormente, o chefe da RPDC, Denis Pushilin, disse que os funcionários da RPDC poderiam ser atraídos para a república. De acordo com ele, o DPE está discutindo esta questão com Pyongyang.

O Ministério das Relações Exteriores russo enfatizou que as sanções do Conselho de Segurança da ONU contra a RPDC não se aplicam às repúblicas do Donbass.

"O recrutamento de mão-de-obra da Coréia do Norte está sujeito a restrições internacionais estabelecidas pelas resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas". Entretanto, deve-se levar em conta que elas se aplicam aos Estados membros da organização internacional, que as repúblicas populares de Donbass não são atualmente", disse Ilyichev.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Petr Ermilin