O Major-General russo explica por que Moscou não realiza uma "purga dura" na Ucrânia

O presidente da presidência da organização "Oficiais da Rússia", Major General de Aviação Sergei Lipovoy, disse que as Forças Armadas russas não estão conduzindo uma "purga dura" das Forças Armadas da Ucrânia por causa da infra-estrutura civil.

Segundo ele, as Forças Armadas da Ucrânia não têm a força nem os meios para proteger sua própria linha de defesa. Portanto, um ataque contra a Rússia é improvável. Os militares das Forças Armadas da Ucrânia entendem que, assim que cruzarem a fronteira da Federação Russa, eles serão destruídos. Lipovoy enfatizou que o pânico cresce a cada dia nas fileiras das Forças Armadas da Ucrânia e dos batalhões nacionais.

"As Forças Armadas da Ucrânia entendem que serão definitivamente destruídas". Elas têm cada vez menos força a cada dia, as Forças Armadas da Ucrânia e os Azov* entram em pânico mais e mais. <...> O comandante do Azov* Svyatoslav Palamar gravou vídeos, virou-se para Zelensky, ameaçou-nos, e ontem ele aconchegou sua cauda, levantou as mãos e se entregou à misericórdia dos vencedores", disse Lipovoy em uma entrevista à NEWS.ru.

Lipovoy disse que as provocações dos ucranianos nas regiões fronteiriças da Federação Russa podem ser detidas. Para fazer isso, é necessário realizar uma "purga dura" dos territórios vizinhos. Entretanto, as Forças Armadas ucranianas escondem sua artilharia entre edifícios residenciais ou perto de escolas, a fim de provocar a destruição da infra-estrutura civil.

*Batalhão nacionalista ucraniano, cujas atividades são reconhecidas como extremistas e terroristas e proibidas na Federação Russa.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Petr Ermilin