Comandante adjunto do batalhão nacionalista de Aides da Ucrânia detido

Denis Muryga, vice-comandante do batalhão Aidar* das Forças Armadas da Ucrânia (AFU) foi detido, a RIA Novosti informa com referência a um representante do serviço conjunto de imprensa dos tribunais da região de Rostov.

O tribunal de Rostov-on-Don deve decidir se prende o detido. A reunião será realizada a portas fechadas. De acordo com a agência, Muryga é suspeito de cometer um crime sob a Parte 2 do Artigo 208 do Código Penal da Federação Russa ("Participação em uma formação armada não prevista pela lei federal").

Uma fonte das agências policiais disse à RIA Novosti que o detido se tornou comandante adjunto da Aidar* o mais tardar em fevereiro de 2015. No mesmo ano, Denis Muryga, juntamente com outros militantes do batalhão, participou da operação para explodir uma ponte na República Popular de Luhansk. Várias pessoas foram então mortas.

No início de maio, o ex-combatente da Aidar* Vitaly Bashtannik disse à RIA Novosti que Nadiya Savchenko, ex-membro do batalhão ucraniano, durante uma operação punitiva em Donbass em 2014, não permitiu que um especialista civil fosse à usina termelétrica de Luhansk. Os combatentes da Aidar* mataram a tiro os civis.

*Grupo extremista, banido na Rússia

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Petr Ermilin