Marrocos: Covid como arma de guerra e de repressão

Sahara Ocidental: ativistas infectadas com coronavirus por forças de ocupação marroquinas

• A infecção da ativista sarauí Sultana Jaya e de sua irmã foi revelada dias depois de um ataque à casa por agentes marroquinos, em 22 de agosto.

• Os agentes pulverizaram a casa com produtos químicos e detritos.

• Um teste rápido indica que Sultana e sua irmã têm COVID-19

Por Cristina Martínez Benítez de Lugo

A ativista de direitos humanos saharaui Sultana Jaya e a sua irmã mais nova, Um-Almumnin, estão em estado de saúde muito grave, infectadas pelo COVID-19. Isolados pelas forças de ocupação em sua casa em Bojador, no Saara Ocidental, não recebem atendimento médico. A infecção se manifestou dias após um ataque à sua casa por agentes das Forças Especiais de Segurança Marroquinas.

Um ativista dos territórios ocupados informou a Contramutis que entrou em contato com Louaara Jaya, a irmã mais velha da família, por telefone, e ela confirmou que suas duas irmãs estão muito doentes e que ela, por enquanto, está bem. Informou que no ataque que sofreram em 22 de agosto, agentes das forças especiais marroquinas usaram produtos químicos contra eles e disseram que não durariam dez dias.

A ativista explicou que dias após a agressão as irmãs não conseguiam falar e sentiram que os cheiros que a polícia trazia eram muito fortes e as sufocaram. Mais tarde, eles notaram que sua respiração piorou e suspeitaram que eles poderiam ter coronavírus. Eles fizeram um teste rápido para COVID-19 adquirido em uma farmácia: Sultana e Um-Almumnin deram positivo. Louaara, não. Em seguida, tiraram a mãe de casa e mandaram-na para El Aaiún para não infectá-la.

Os pacientes afirmam que perderam o olfato e o paladar, e respiram com muita dificuldade. Eles têm colite e falta de apetite. Eles estão sem forças. Na noite de quinta-feira, 2 de setembro, eles tiveram febre, muita dor de cabeça e vômitos. De manhã são iguais. A cabeça de Sultana queima.

 

Tradução exclusiva para Pravda.Ru

Fonte: Contramutis

 

Pravda.Ru

Contacto: jornalpravda@gmail.com