Massacre em Burkina Faso

Coluna de civis atacado perto de Arbinda. Pelo menos 80 mortes. Responsabilidade atribuída a militantes islâmicos.

Um comboio de civis estava sendo escoltado por policiais militares, quando foi atacado por militantes islâmicos, perto da cidade de Arbinda, no norte de Burkina Faso, na quarta-feira causando pelo menos 80 mortes e vários feridos.

O ataque foi veementemente criticado pelo Secretário-Geral da ONU, António Guterres. Fontes governamentais e militares declararam que 59 civis, seis milicianos pró-governo e 15 policiais militares foram massacrados, enquanto as forças de segurança disseram que 80 militantes também foram assassinados.

António Guterres expressou sua profunda preocupação pela violência causada por grupos de militantes islâmicos na região de Liptako-Gourma, e apela que as autoridades de Burkina Faso “não poupem esforços em identificar e trazer rapidamente os perpetradores à justiça”.

Pravda.Ru

Contacto: jornalpravda@gmail.com