Brasileiros fazem descoberta inédita

Pela primeira vez no mundo, especialistas conseguiram comprovar em humanos que as células-tronco são capazes de se tornarem células do tecido cardíaco. A descoberta dos cientistas reforça a idéia de que a terapia com células-tronco pode ser uma melhor opção para o tratamento de pacientes com problemas cardíacos graves.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardíacas e os acidentes vasculares cerebrais matam 17 milhões de pessoas por ano no mundo. O dado faz parte do Atlas de Cardiopatias e Derrames lançado pela OMS, nesta semana, como parte da programação do Dia Mundial do Coração, celebrado no dia 26 de setembro.

A descoberta é fruto de uma ampla pesquisa, iniciada em dezembro de 2001, onde Dohman e o especialista Radovan Borojevic, chefe do Departamento de Embriologia e Histologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro recrutaram 21 pacientes com problemas cardíacos crônicos graves, seis deles na fila de espera. Deste total, 14 receberam injeções de células-tronco da medula óssea. Entre os que receberam o tratamento, a maioria apresentou uma melhora além do esperado. Dois voluntários faleceram, por razões não associadas à terapia com células-tronco. Este estudo foi apresentado no Congresso da Sociedade Européia de Cardiologia, realizada no mês passado, em Munique.

O especialista Dohman acredita que sua descoberta é mais um passo para que o Ministério da Saúde do Brasil possa adotar a técnica, considerada mais eficaz e mais barata, no tratamento de doenças cardíacas crônicas. O Ministério da Saúde vai financiar mais estudos na área. Os resultados do estudo serão publicados na revista científica “Circulation”, em data ainda não definida.

Andreia Quaiat PRAVDA.ru São Paulo, Brasil