PSDB ataca governo

Impasses no Senado, governar pensando nos interesses dos amigos pessoais, entregar relatórios em cima da hora para impedir que análises sejam feitas, são todas acusações do PSDB contra o Partido trabalhista do presidente Lula.

No entanto, será exatamente assim, ou será que o PSDB está trabalhando contra? “Trabalhar contra”, quer dizer fazer obstrução, fazer uma não política, aliás, impedir tudo a todo o custo, ou seja, uma oposição ativa mas negativa...em três palavras, não deixar governar?

No seu boletim eletrónico, o PSDB admite que “o PSDB liderou oito partidos em um esforço suprapartidário pela obstrução”. Obstrução.

O PSDB explica esta obstrução, dizendo que o PT não está cumprindo acordos firmados com a oposição, em que prometeu entregar os documentos para que uma análise pudesse ser feita atempadamente.

Num ataque violentíssimo contra o Partido dos Trabalhadores, o senador tucano Antero Paes de Barros (MT), proclamou: "Descobrimos como e para onde saiu o dinheiro sujo do jogo e do narcotráfico, quem são e onde se escondem os doleiros", exigindo que Casseb e Candiota compareçam à CPI do Banestado.

Acusações fortes, palavras duras. Será que este senador não foi longe demais e terá de justificar o que disse perante um tribunal?

Porém, senador Antero está cheio de ideias mesmo. Quer que o Banco Central passe a foscalizar transacções financeiras acima de certos limites, que uma comissão permanente comece a fiscalizar e investigar a lavagem de dinheiro e que os bancos sejam responsabilizados por operações com CPFs falsos.

Finalmente, lá está o PSDB outra vez a escutar o que Lula diz no estrangeiro. Yeda Crusius, deputada para RS, declara que a crítica feita por Presidente Lula à política cambial de FHC é “uma tirada para desviar atenção da inépcia petista" e acusa o governo de não produzir condições para a economia crescer, com a política de tributações e juros altos.

A deputada aponta a queda dos preços durante o período de governação de Fernando henrique Cardoso, dizendo que as palavras de Lula são “de quem desceu do palanque e não sabe o que fazer".

Mas não esqueçamos uma coisa: O tempo de FHC foi na última parte da década de 90 e os primeiros anos do novo milénio. Será que os tempos não mudam e que o Brasil está afetado por correntes internacionais?

FHC conseguiu adotar uma política cambial racional, sim, e conseguiu acabar com o hiper-inflação mas também não teria tido esse sucesso sem o apoio dos mercados internacionais que desistiram da política de fazerem ataques especulativas sobre a moeda brasileira.

Será que o FHC e o PSDB foram tão populares assim? E se sim, por quê é que o Lula teve aquela maioria tão grande?

Respondendo à Yeda, a retoma está aí: o nivel de vida começa a aumentar e os empregos estão a ser criados. Isso terá efeitos no curto prazo na nossa economia.

Quem ataca sempre e nunca elogia nada, é suspeito e nisso cai o PSDB de hoje. Fala mal, mas durante todo o tempo que esteve no governo, será que fez algo?

Nelson MATIAS PRAVDA.Ru BELÉM BRASIL