Agricultura Familiar tem recorde em 2003

De acordo com os números fornecidos pelos agentes financeiros que atuam no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), houve um recorde de operações: 701.305, o que significa um crescimento de 18% no número de contratos em relação ao mesmo período do ano passado, quando o total ficou abaixo dos 600 mil contratos.

Os valores deram saltos espetaculares. O R$ 1,2 milhão do plano passado subiu para R$ 2,09 milhões neste ano, um aumento de 62%. O destaque ficou para Pronaf D - Investimento. Os valores contratados cresceram em 147%, saltando de R$ 68 milhões para R$ 168 milhões. O número de operações dobrou de 8 para 16 mil.

O crédito de custeio foi mais expressivo. Responsável por aproximadamente 75% das operações realizadas no período, possibilitou aos agricultores o financiamento do plantio das chamadas "culturas de verão", como arroz, soja, milho, feijão e mandioca e o custeio da produção de leite. A expectativa para o primeiro semestre de 2004, segundo o secretário da Agricultura Familiar, Valter Bianchini, é de uma elevação significativa dos contratos de investimento, com destaque para a agroindústria familiar e para a linha de microcrédito, também denominado de Pronaf Grupo B.

A oferta de crédito do primeiro Plano Safra para a agricultura familiar do governo Lula, R$ 5,4 bilhões, é 40% superior à média dos anos anteriores do Pronaf. O período pesquisado é de julho a novembro de 2003 comparado ao mesmo período de 2002.

Partido dos Trabalhadores