Portugal: Manifestação contra a guerra no Iraque

ACED - Associação Contra a Exclusão pelo Desenvolvimento; associação Intervenção Democrática - ID; Associação Solidariedade Imigrante; ATTAC Portugal; BE - Bloco de Esquerda; CGTP/IN - Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses; CIDAC - Centro de Informação e Documentação Amílcar Cabral; CIL - Comissão Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Região de Lisboa; Colectivo Raio X - FCSH; Colectivo de Solidariedade Mumia Abu Jamal; CPPC - Conselho Português para a Paz e a Cooperação; JCP - Juventude Comunista Portuguesa; OIKIA; PCP - Partido Comunista Português; PEV - Partido Ecologista "Os Verdes"; SAI - Solidariedade Anti Imperialista; SOS Racismo.

SUBSCREVEM APELO CONTRA A GUERRA NO IRAQUE

O Governo norte-americano tenta impor, a qualquer preço, uma guerra contra o Iraque, espezinhando o Direito Internacional.

Uma tal guerra significa a apropriação pelos EUA de riquezas petrolíferas enormes à custa da mais completa miséria do povo iraquiano; serviria de cobertura a Israel para levar ainda mais longe o massacre do povo palestiniano; traria o caos ao Médio Oriente, e um terrível sofrimento a todos os povos da região.

As hesitações e as divisões na União Europeia colocam todos os países europeus à mercê da chantagem dos EUA.

Infelizmente o Governo Português é um dos poucos no mundo que se coloca ao lado da Administração Bush, nomeadamente concedendo importantes facilidades logísticas na Base das Lajes, sendo inadmissível o envolvimento português directo ou indirecto em qualquer acção de guerra.

É preciso que todas as mulheres e homens de bom senso e com sentido de justiça façam sentir que a Administração Bush não pode fazer o que quer, nem conduzir uma região e quiçá o mundo para o precipício da guerra.

Centenas de milhar de cidadãos têm-se manifestado em todos os países, a começar nos próprios EUA, contra as ameaças de guerra do governo norte-americano. Portugal tem de ocupar o seu lugar na luta contra a barbárie.

Apelamos a todas e todos os que não querem a guerra que não pensem apenas que não a querem, mas que se juntem a outras e outros para dizer não à guerra.

Antes que a tragédia se consume, é preciso impedi-la. As acções para deter a guerra são louváveis, mas aquelas que possam evitá-la são com certeza ainda mais louváveis.

Não deixemos que a política do facto consumado dos EUA se sobreponha aos legítimos interesses de paz, de liberdade, de independência e de progresso de todos os povos.

Apelamos a todas e todos aqueles que não querem a guerra e amam a vida que se concentrem no Largo de Camões (Lisboa), na próxima 5ª feira, dia 24 de Outubro, às 18 horas.

www.bloco.org Bloco de Esquerda

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal