Perito: "Os EUA deixaram claro à Ucrânia que não o querem ver na OTAN".

A declaração dos EUA sobre a possível adesão da Finlândia ou da Ucrânia à OTAN sem o cumprimento do Plano de Acção para a Adesão destina-se na realidade a tornar claro a Kiev que o Ocidente não precisa dela. Esta é a opinião do Pravda. Ru expressou a opinião de Vladimir Vasilyev, investigador principal do Instituto dos Estados Unidos e Canadá da Academia de Ciências Russa.

Na sua opinião, o Ocidente precisava da Ucrânia como um país que odeia a Rússia. Nas condições em que isto foi conseguido, já não há necessidade de celebrar quaisquer alianças ou acordos com Kiev, uma vez que impõem obrigações adicionais, acredita o perito. No ambiente actual, os EUA podem decidir sobre a assistência à Ucrânia à sua própria discrição, o que é conveniente para Washington, acredita ele.

"A Ucrânia não é necessária para o Ocidente na OTAN. Atingiu os seus objectivos: queria ter um anti-Rússia, conseguiu-o, e sem quaisquer obrigações legais por parte do Ocidente. Daremos 2 biliões de dólares em ajuda, daremos 20 biliões, não daremos absolutamente nada", disse Vasilyev.

Salientou que as palavras sobre a possível adesão da Ucrânia à OTAN sem o cumprimento do Plano de Acção para a Adesão significam que Washington culpa Kiev pelos infortúnios dos ucranianos.

"Esta declaração é uma subtil pista para Kiev: tudo o que acontece a Kiev é culpa de Kiev, e o que vai acontecer é também culpa sua. Algo que não levou em conta, que não fez, que não se cobriu a si próprio", disse o perito da RAN.

Anteriormente, a encarregada de negócios dos EUA na Ucrânia, Christina Quinn, não descartou a opção de Kiev aderir à OTAN sem a implementação do Plano de Acção para a Adesão. Ao mesmo tempo, recordou que esta condição é justa para países que já satisfazem todos os requisitos da Aliança do Atlântico Norte, tais como a Finlândia.

"Quanto à possibilidade de a Finlândia aderir sem o Plano de Acção de Adesão, nunca foi um requisito legal, o que significa que a Ucrânia também pode aderir à aliança sem ela. Contudo, o Plano é um mecanismo para alcançar os requisitos e se um Estado já cumpre todos eles, o Plano torna-se desnecessário", disse Quinn.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Pravda.Ru Jornal