Author`s name Petr Ermilin

Kadyrov da Chechênia: Rússia prossegue com operação especial "concreta" na Ucrânia

A Rússia está interessada na rápida conclusão da operação na Ucrânia, mas ela só pode ser possível após a liberação de todo o território de Donbass. Depois disso, Moscou e Kiev intensificarão o processo de negociação, dizem os especialistas.

Enquanto isso, o presidente checheno Ramzan Kadyrov, anunciou o início da operação especial "concreta" na Ucrânia.

Em um posto recente em seu canal Telegrama, Kadyrov ofereceu aos soldados das Forças Armadas da Ucrânia (AFU) para se renderem ao exército russo. Foi o lado ucraniano que "pediu por isso", disse ele.

É a operação especial concreta que vai começar agora e haverá bons indicadores, bons resultados. Foram os próprios ucranianos que o pediram, por assim dizer", disse Kadyrov. 

Ramzan Kadyrov pediu aos militares ucranianos que deixassem suas posições e fugissem. Segundo ele, os ucranianos deveriam se retirar para onde as tropas federais se encontram atualmente. Os militares chechenos mostrariam "bons resultados", acrescentou ele. 

"Se de repente alguém não pudesse escapar, então fuja agora, deixe suas posições". Vá para onde estão localizadas as tropas federais: elas lhe darão comida e água", escreveu Kadyrov. 

O político lembrou que são "a OTAN, os Estados ocidentais" que se opõem à Rússia porque pensam em si mesmos como nações fortes. É o Ocidente que financia e armam mercenários e os envia para servir na Ucrânia. A Rússia está se levantando contra o mundo inteiro neste momento, acrescentou ele. 

De acordo com Kadyrov, as negociações com Kiev são impossíveis, porque a Ucrânia não tem um poder vertical. Ele pediu para discutir a situação atual na Ucrânia com seus residentes e descobrir suas idéias sobre o futuro desejado. Além disso, Kadyrov envergonhou as autoridades ucranianas por combatentes de "meia-idade" que não sabem como segurar corretamente as armas em suas mãos.

Em abril, o chefe da Chechênia falou sobre muitos russos que vêm à capital da Chechênia, Grozny, dispostos a participar de uma operação especial na Ucrânia.

É digno de nota que o irmão de Ramzan Kadyrov, Khalid Kadyrov, disse anteriormente que cerca de 20 parentes do chefe da Chechênia participam dos combates na Ucrânia. 

A Rússia iniciou a operação especial na Ucrânia em 24 de fevereiro. O presidente russo Vladimir Putin anunciou seu início em seu discurso à nação. Putin também recorreu a forças externas que poderiam tentar representar uma ameaça para a Rússia. De acordo com ele, a resposta da Rússia seria imediata.

"Quem quer que tente nos impedir, e mais ainda, criar ameaças para nosso país e nosso povo - eles devem saber que a resposta da Rússia será imediata e levará você a tais conseqüências que você nunca enfrentou em sua história", disse Putin então em seu discurso televisivo à nação. 

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter