Author`s name Creator

Ucrânia pronta para aceitar status neutro e não nuclear

O lado ucraniano fez uma série de declarações após as negociações que terminaram hoje, 29 de março, em Istambul, Turquia.

A Ucrânia apresentou suas propostas à Rússia sobre o tratado de garantias de segurança para a Ucrânia. Este deveria ser um tratado internacional a ser assinado por todos os garantes de segurança, como Grã-Bretanha, China, EUA, Turquia, França, Canadá, Itália, Polônia e Israel. Alguns desses países já deram consentimento prévio.

A implementação deste acordo ocorrerá de acordo com o seguinte procedimento: primeiro, será realizado um referendo totalmente ucraniano sobre o tratado. Em seguida, será ratificado nos parlamentos dos países garantidores e no parlamento da Ucrânia.

Quanto à Crimeia, o lado ucraniano propõe fixar a posição da Ucrânia e da Rússia em relação à península e, em seguida, continuar negociando o status da Crimeia e Sebastopol por 15 anos. Durante esse período, ambos os lados são convidados a não usar forças armadas para resolver a questão da Crimeia.

Os presidentes Putin e Zelensky discutirão o status da República Popular de Luhansk e da República Popular de Donetsk em uma reunião pessoal.

Todas as questões de argumentos foram mais ou menos coordenadas.

O referendo ucraniano só pode ser realizado sob a condição de tempo de paz, disse o membro da delegação ucraniana David Arakhamiya.

A Rússia recebeu propostas escritas da Ucrânia confirmando seu desejo de um status neutro e não nuclear, disse o chefe da delegação russa, Vladimir Medinsky.

A Ucrânia está pronta para estabelecer seu status de não-bloco, desde que a Ucrânia não se junte a nenhuma associação político-militar, disse Alexander Chaly, membro da delegação ucraniana.

O membro da delegação ucraniana Chaly explicou o que significaria a neutralidade ucraniana:

Recusa de implantar bases militares estrangeiras e contingentes militares.

Recusa de aderir a alianças político-militares.

Exercícios militares no território da Ucrânia só podem ser realizados com o consentimento dos países garantidores.

As portas da UE estão abertas para a Ucrânia, e os países garantes terão de apoiá-la.

Se o acordo final for alcançado em alto nível, uma conferência multilateral será preparada com a participação de altos funcionários dos países garantidores, na qual este acordo será assinado.

Vladimir Medinsky, chefe da delegação russa, afirmou o seguinte como resultado da reunião em Istambul:

As negociações foram construtivas, a Ucrânia formulou claramente a sua posição sobre o acordo conjunto.

A Rússia em breve considerará as propostas da Ucrânia, elas serão relatadas a Vladimir Putin.

O encontro entre Vladimir Putin e Vladimir Zelensky pode ser possível desde que os chanceleres da Rússia e da Ucrânia rubricam o tratado de paz.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter