Comunicado do Presidente do YABLOKO

Grigori Yavlinski lança um voto de “não confiança” no governo da Federação Russa, reclamando liberdade de expressão. Tem sorte que está na Federação Russa porque se estivesse nos EUA, não a teria.

Reclama esse senhor que 50% dos russos estão contra o governo porque não têm confiança nele, por causa da burocracia, da reforma fiscal, regulamentação excessiva nos assuntos alfandegários, proteccionismo, pressões da administração sobre pequenas e médias empresas, falta de protecção da propriedade privada, falta de liberdade de concorrência e falta de vontade de ver a Rússia na OMC.

Por outras palavras, disparate. Se 50% dos russos não têm confiança no governo, como explicar as taxas de popularidade de Vladimir Putin de 80% há menos do que um ano, muito mais agora que o Presidente da Federação Russa defende a posição comum, apoiado pela maioria da população mundial, no que diz respeito à gestão de crises e a nova ordem mundial?

Se a grande maioria da população mundial está com o Presidente, e 50% dos russos não, então há qualquer coisa que não bate bem. Agora quando os primeiros anos da presidência de Vladimir Putin foram passados a retirar dos seus galhos os oligarcas criados na presidência de Eltsin, como é que o presidente do Yabloko pode afirmar que o sistema é, citando, ”um sistema semi-criminoso oligárquico”?

Muito gosta esse senhor de falar, de largar sentenças, mas o quê é que Grigori Yavlinski percebe da política? Fala dum “sistema aberto e democrático que assegura os direitos humanos, baseado em valores europeus e uma economia de mercado”...pois, palavras de ordem, palavras de ocasião.

Fácil é falar e largar sentenças bonitas ou sonantes. Difícil é fazer virar uma nação inteira e é precisamente isso que Vladimir Putin e o seu governo fez.

Tomaram as rédeas de poder dum Eltsin pateticamente frágil, que governava (ou não) um país (ou não) à beira dum colapso, fizeram reconstruir o respeito internacional pela política externa de Moscou, fizeram melhorar substancialmente o nível de vida dos cidadãos. Muito fácil é estar sentado no escritório a criticar. Muito difícil deve ser ter a paciência ouvir os disparates dos que querem partilhar o bolo, sem terem nem sequer a qualidade de se sentarem à mesa.

Timofei BYELO PRAVDA.Ru