O Kremlin precisa de tempo antes de tomar decisões finais

Ao anunciar a mobilização, as autoridades russas evitaram dizer a palavra "guerra". Eles também não falaram sobre a imposição da lei marcial. O senador Klishas declarou que a mobilização parcial poderia ser realizada durante o período de paz.

Tudo isso dá motivos para afirmar que o Kremlin não quer realmente atualizar o tema da "guerra patriótica", escreveu o Breve Canal de Telegramas.

Foi relatado que alguns dos cidadãos mobilizados seriam enviados para as repúblicas LPR e DPR para substituir as tropas. No entanto, em geral, as autoridades russas prometem que os cidadãos mobilizados precisariam passar por treinamento de duas semanas a um mês antes que pudessem estar prontos.

Portanto, a liderança russa parece estar criando um intervalo de tempo temporário de um mês para chegar às decisões finais.

Pode-se supor que as autoridades estão agora sendo extremamente atentas ao ambiente alarmante que se desenvolveu na sociedade dentro da Rússia. Eles tentarão tomar medidas para "acalmar a sociedade" rapidamente. Antes de mais nada, trata-se de apoio informativo e gestão de riscos.

Destaca-se que dez prisioneiros de guerra estrangeiros foram liberados em 21 de setembro - o dia em que Putin anunciou a mobilização parcial. Os prisioneiros de guerra haviam sido ameaçados de pena de morte em Donetsk. Entre os libertados, há dois cidadãos americanos.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name: Petr Ermilin