Pravda.ru

Notícias » Cultura


A VERDADE

13.07.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

EDITORIAL

Muitos estão aproveitando as férias de julho! Não seria bom, pensarmos em nossos semelhantes e tentarmos ajuda-los? Você amigo, já ajudou alguém que precisou de você?

Os que ajudaram, não sentiram algo diferente? É AMOR!

AMAR é oferecer parte do seu tempo, parte de sua propriedade (alimentação, dinheiro, roupa, etc) para os necessitados! Hoje em dia, é comum você encontrar, a maioria das pessoas necessitadas, desejando mais receber sentimento, do que coisas materiais. Devemos usar, para sermos felizes, o meu ditado: “Não quero saber o que eu poderei ganhar, mas o que eu poderei dar”

O mundo pode ser belo, se vocês oferecerem a juventude para muda-lo! O jovem pode mudar o Mundo, é só querer! Querem tentar?

Armando COSTA ROCHA PRAVDA.Ru BRASIL A PROCURA DO AMOR, capítulo II

Para muitos o Amor tem milhões de significados. Nessa hora volta a minha mente o meu ditado filosófico, “amor... palavra tão usada e tão pouco sentida”

Sempre procurei saber o verdadeiro significado do Amor.

Tentei milhares de vezes, em inúmeras experiências, chegar a uma conclusão. No decorrer dos vários capítulos em que tratarei desse assunto tão interessante, mostrarei passo a passo o caminho percorrido por mim, até a única conclusão.

Não tentem acompanhar o meu raciocínio em razão crescente dos capítulos. Analisarei de varias maneiras as ações e reações de pessoas que acham que o Amor é o sexo. Perguntarei, em especial as garotas de minha cidade, Guaraparí, se elas já amaram ou foram amadas. Tenho a certeza de que a maioria absoluta delas responderá que, sim!

Não afirmarei que não existe uma única garota nessa situação. Mas, posso declarar que, se esse milagre aconteceu, não deve passar de duas ou sejamos otimistas, três sortudas! Agora, se me falarem que foram desejadas, e que o rapaz falou a banalíssima palavra Amor, a fim de que ela desse atenção para ele, e cedesse em seus desejos sexuais, é outra coisa!

Dizem que os espanhóis usam o termo “te quiero” para as suas namoradas; creio que essa declaração é mais sincera, pois realmente eles as desejam e não Amam. O Amor é o mais sublime e inimaginável dos sentimentos que nos leva além do nosso curto raciocínio. Existe no ser humano, uma sede inesgotável de Amar; e, não se sabe explicar o milagre, mas sempre que ele Ama, ele é correspondido.

Será isso o Destino?

Será que quem Ama, pertence a um grupo de indivíduos em que DEUS colocou sua mão? Seja o que for, ele existe, mas poucos, muito poucos, por desconhece-lo, lhe dão valor! Armando COSTA ROCHA

Para o Eduardo

Motivo e inspiração: Tive um primo rico, que tinha vontade de voar; fazia comigo vários projetos de viagens para o futuro. Mas, tudo isso acontecia, antes de casar-se com uma materialista. Depois do casamento, a vontade de voar foi diminuindo, graças a companheira que, só pensava em “juntar”. Consegui levar esse meu primo em uma de minhas viagens; soube mais tarde pelo seu filho, que foi um dos mais felizes tempos de sua vida!

Estava em Israel em visita a Jerusalém, quando recebo noticia de sua morte. Pensando no amigo que perdi e que poderia ter vivido diferente, escrevi:

Se tivesses aprendido a voar Não nas asas curtas do seu pensamento Deixando o pequeno mundo em que vivias A caminho do nada, a caminho do infinito!

Deixando para trás as coisas terrestres. Voando sempre em um voar alegre Mundos novos em um desenrolar constante Mostrando o tudo e nada em um instante

Como seria bom teres conhecido O voar bonito de um pássaro livre. Terias morrido assim como nascido; Passando de um mundo a outro desconhecido!

Armando COSTA ROCHA REMINISCÊNCIA

Vamos fazer vocês voltarem ao passado, e por mais incrível que pareça, ele se parece muito com o presente.

O artigo de hoje se chama: Reforma Agrária no Brasil! Sonho ou Utopia? No 2. E foi escrito em 10-1-1986.

Volto ao assunto para mostrar, para provar, como estamos longe de nosso sonho.

Depois de nos prometerem (durante a campanha eleitoral) e passarem mais de meio ano estudando, um assunto que como TODOS já sabemos deveria ter sido estudado antes da promessa, foi assinado (assim como diz a revista “Veja” No. 893, pág.44) o projeto que institui o Plano Nacional de Reforma Agrária.

Entre a assinatura do projeto e a sua execução, ou melhor, tentativa de execução, muitas, mas muitas mortes mais, vão ocorrer, de agricultores assassinados por fazendeiros que não aceitam a Reforma Agrária e agem com violência, sabedores de sua impunidade, perante os olhos complacentes das autoridades.

Quando o governo quer maior receita, usando entre outros, o aumento do imposto de renda, isso é feito de noite para o dia, sem nenhum problema.

Quando os senhores deputados e senadores querem aumentar seus vencimentos ou mordomias, também o fazem de noite para o dia! Mas, quando se tem que fazer alguma coisa, para evitar que milhares de pessoas morram de fome, que a miséria e a morte tirem a vida de infelizes que só tiveram como culpa o terem nascido no Brasil, declaram que em 4 anos, talvez uma pequena parte dos esfomeados vão ser atendidos!

O Presidente da Nova Republica, José Sarney, assinou o plano da Reforma Agrária. Ela vai sair?

Não! Enquanto “esse povo de quem fui escravo”, continuar sendo escravo de alguém!

Armando COSTA ROCHA

1968

Preparei-me novamente para visitar os lugares já visitados por mim no Uruguai e Argentina, esticando um pouco os conhecimentos.

De repente me achei um passarinho, que sabia o quê iria realizar no futuro e já se preparava para enfrentar os problemas que poderiam surgir.Primeiro pequenos vôos, para fortalecer as asas e o espírito.

Sigo levando dessa vez, minha irmã Delphina e uma sua amiga, Tereza.

Chego na fronteira e já sou recebido pelo cunhado do Gregório, que comicamente me pergunta se dessa vez estava com todos os documentos em ordem, e quando informei que não, ele caiu na gargalhada.

O pior foi que cheguei na fronteira no dia 15 de novembro e como era o Dia da Bandeira o comercio estava fechado.O meu amigo teve muito trabalho para conseguir os documentos para o carro, me fazendo prometer que na volta só entregasse os mesmos a ele.

E como acontece sempre em minha vida, (me fazendo, no futuro, repetir uma frase em inglês muitas e muitas vezes: “no problems”) tudo correu bem.

Fomos para o mesmo hotel na fronteira e naturalmente para o mesmo, já meu tão conhecido, em Montevidéu, seguindo depois para....... o Restaurante do “Titio”.

No dia seguinte recomeçamos viagem em direção a Colônia Del Sacramento onde deixei o meu carro(como na viajem anterior) no parking, depois pegamos um aerobarco para Buenos Aires.

Nas minhas viagens posteriores vou repetir muitas vezes essa técnica de viajar, seguindo varias vezes o mesmo itinerário para poder sentir melhor os lugares visitados e respectivo povo.

Dormimos em um hotel no centro da capital Argentina.

De manha seguimos em excursão para o “La Boca”, um grande e famoso restaurante ao ar livre, situado no bairro com o mesmo nome.

Depois fizemos outra excursão de ônibus por vários lugares importantes da cidade, enquanto a guia nos falava das maravilhas de Buenos Aires. Sempre rindo e olhando para mim dizia:

“Essa avenida é a maior do mundo, mas é realmente, não como os brasileiros dizem, que tudo deles é o maior !” Logicamente querendo dizer que nos somos mentirosos, mas falava e ria como se quisesse brincar. Ela sabia que eu era brasileiro.O nome dela era Helena, e os argentinos me disseram que era uma das mais famosas guias de Buenos Aires. Helena me apresentou a sua filha de 10 anos e eu prometi escrever para a menina, quando voltasse para o Brasil.

Um argentino que também participava da excursão, todas as vezes que escutava um tango pelo alto falante, olhava para mim e ria, ao que eu respondia com sorriso. Depois de algum tempo se dirigiu a mim e disse: “Eu sei por que você esta rindo, sei o que vocês brasileiros pensam do tango!” E sem esperar minha resposta, disse: “Lamento de um cornudo!” , declarei que realmente não sabia, mas ele riu e ficou por isso mesmo.

No “La Boca” comemos TODO o tipo de carne de touro, inclusive o seu aparelho genital, regado a muito vinho. Depois da refeição, como estavam tocando uma musica de carnaval do Brasil, a minha irmã e a Tereza, já alegres, me convidaram para chefiar uma corrente logo acompanhada por TODOS os argentinos do restaurante. O cordão durou mais de 30 minutos, enquanto durou a musica! Voltamos para o hotel mortos de cansaço.

No dia seguinte, retorno: Colônia Del Sacramento, Montevidéu, o “nosso” hotel, o restaurante do “Titio” e compra de algumas lembranças para o cunhado do Gregório Fortunato.Na fronteira agradeci os favores prestados.

Armando COSTA ROCHA PRAVDA.Ru BRASIL

 
9988
Loading. Please wait...

Fotos popular