Pravda.ru

Notícias » Cultura


“Polaroid”: atravessar discursos através da dança

09.03.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

“Polaroid” contempla a presença de um ecrã gigante que convoca uma imensa intimidade com o palco, quer no plano plástico quer ao nível da narrativa. Assim, o tratamento vídeo, das luzes, banda sonora e cena não tem uma função ilustrativa, constituindo uma parte integrante da dramaturgia. O espaço cénico é povoado de luzes e elementos que remetem para uma iconografia de jogo, sendo alguns destes elementos mutantes consoante a dinâmica da narrativa.

No fundo, o espectáculo é um duplo solo de Clara Andermatt e Amélia Bentes. “Polaroid” conta com uma narrativa que o atravessa, coabitando os diversos discursos, como o videoclip ou o videogame, com especial ênfase para o cinema. Estas narrativas proporcionam uma dinâmica que reflecte a velocidade e o excesso que caracterizam o espectáculo, onde se cria um idioma único com base no som, na imagem, no movimento e na palavra.

Em “Polaroid”, o corpo é preso pela imagem e as palavras correm como questões em cadeia para fora do seu corpo imóvel. Incorpora todas as experiências vividas como se condenasse, naquele momento, toda a sua vida: uma corrida do princípio ao fim. Um ciclo imparável em que a morte é o início da etapa seguinte.

Coimbra Capital da Cultura

 
1284
Loading. Please wait...

Fotos popular