Pravda.ru

Notícias » Ciência


Bolivarianos solidários com Dilma na Copa

19.06.2014 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Bolivarianos solidários com Dilma na Copa. 20479.jpeg

Ao discursar no encerramento do Fórum "Conjura Midiática contra a Venezuela", o vice-presidente da república bolivariana, Jorge Areaza,  genro de Hugo Chávez,  expressou claramente o seu apoio ao governo Dilma Roussef em razão da campanha política midiática internacional contra o Brasil, que tenta fazer crer que a Copa do Mundo seria um fracasso. "

O Brasil está sendo alvo porque esta Copa se realiza em um país da Celac, da Unasul, do Mercosul, e também membro dos Brics, além de ter uma política externa anti-imperialista, de solidariedade a Cuba e Venezuela, e por defender a integração latino-americana.

Dilma está sentindo as garras do vampiro imperial", declarou.O pronunciamento  do dirigente venezuelano, reforçado pelo  presidente Nicolás Maduro, teve sua expressão física inquestionável nas  presenças dos presidentes Rafael Correa, do Equador e Evo Morales, da Bolívia, que participaram do jogo de abertura da Copa do Mundo, no Itaquera, no qual Dilma, além de vaiada, foi insultada de maneira baixa, torpe e injustificável, pelos ocupantes da tribuna VIP, onde o ingresso custa 990 reais. Rafael e Evo afirmaram estar no Brasil para mostrar solidariedade ao Governo Dilma, um governo que, continuando o de Lula, retirou cerca de 40 milhões pessoas da área da miséria.

Correa lembrou que segmentos da  ultra esquerda minoritária e sectária que, tal como em seu país, recebe obscuros apoios financeiros do exterior, age da mesma forma contra Dilma, fornecendo material para exploração midiática manipulada contra o Brasil, ao organizar minoritárias e violentas manifestações contra a Copa. Maradona, outro bolivariano, amigo de Chávez, que está no Rio como comentarista do programa De Zurda, da Telesur, também defendeu Dilma lembrando que os que a xingavam não eram representantes do povo brasileiro. A omissão de Pelé, no caso, para variar, é sempre reacionária.

Na semana que antecedeu a Copa, Dilma inaugurou uma ferrovia de 855 km ligando Palmas a Anápolis, o metrô de Salvador, a via Expresso Sul de Brasilia,  o BRT Tranascarioca ligando a  Zona Oeste do Rio ao Aeroporto do Galeão, que também teve obras de expansão inaugurada.

Nestas obras concentram-se o recursos públicos! Numa destas solenidades, ao referir-se aos xingamentos, Dilma, mostrou grandeza e lembrar das torturas bestiais a que foi submetida na ditadura pela mesma classe social que hoje exibe ao mundo, via satélite, sua baixeza moral e incapacidade para dirigir uma nação.

"Suportei agressões físicas no limite do insuportável e nada disso me fez mudar de rumo", declarou, sem rebaixar-se ao nível dos agressores, que devem amargar arrependimento por não ter eliminado fisicamente, quando puderam, a atual Chefe da Nação. Beto AlmeidaMembro do Diretório da Telesur

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=f1e1fd9e97f59379ed79bdf258d55042&cod=13848

 
3446
Loading. Please wait...

Fotos popular