Pravda.ru

Notícias » Federação Russa


O 'Sultão do Caos' está em frenesi

07.02.2016 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
O 'Sultão do Caos' está em frenesi. 23742.jpeg

Imaginem noites insones no palácio do 'sultão' Erdogan em Ankara. Imagine-o lívido, ao saber que o Exército Árabe Sírio, apoiado pela aviação russa, iniciou uma Batalha por Aleppo, preventiva - através da região de Bayirbucak - fechando o principal corredor pelo qual Ankara fornece armas aos terroristas e estrada de ir e vir de jihadistas. 


Quem controlar esse corredor controlará o resultado final da guerra na Síria.
4/2/2016, Pepe Escobar, RT


Entrementes, em Genebra, a oposição síria acionada por controle remoto, também chamada "Alto Comitê de Negociações", mostrou e remostrou, desenhado, que nunca quiseram, para começar, encontrar-se com delegação de Damasco - nem quaisquer conversações "próximas" ou distantes, mesmo depois que Washington e Moscou mal e mal concordaram quanto a uma transição de dois anos, que levaria a uma Síria teoricamente secular e não sectária.

O front saudita queria, nada menos, que Ahrar al-Sham, Jaysh al-Islam e toda a Frente al-Nusra, codinome al-Qaeda na Síria e colaboradores, todos à mesa, em Genebra. E foi assim que a farsa de Genebra, mais depressa do que você pronuncia "Estrada para Aleppo", foi exposta pelo que é: farsa.

E quanto à OTAN, podem esquecer 

O famosíssimo cérebro da inteligência saudita príncipe Turki, ex-mentor de um tal Osama bin Laden, esteve em Paris, para uma ofensiva de 'relações públicas'; mas só obteve uma avalanche de obsessões com negar, fingindo que não negam - e a culpa de toda a tragédia síria foi jogada sobre Bashar al-Assad.

O cerne da 'oposição' síria foi sempre constituído de guerreiros de poltrona cooptados pela CIA durante anos, bem como os 'irmãos' vassalos/otários da Fraternidade CIA-Muçulmana. Muitos desses personagens preferem as alegrias de Paris à vida dura que os espera em solo sírio. Agora a 'oposição' é, basicamente, amontoado de senhores da guerra que, ao preço de umas garrafas d'água, fazem o que a Casa de Saud lhes diz que façam - sem nenhuma consideração ao que digam os engravatados ex-ministros do Partido Ba'ath selecionados a dedo para serem a cara da oposição aos olhos da mídia-empresa ocidental que engole qualquer coisa.

Enquanto isso, os "4+1" - Rússia, Síria, Irã, Iraque, plus o Hezbollah - estão agora colecionando vitórias em matéria de fatos em campo. A novidade determinante: não haverá 'mudança de regime' em Damasco. Mas ninguém ainda levou a notícia aos turcos e sauditas.

O 'Sultão' Erdogan braceja num mar de desespero. Continua a amputar todas as graves questões em jogo, tentando que caibam dentro da guerra particular dele contra o PYD - a organização guarda-chuva dos curdos sírios - e o YPG (Unidades de Proteção do Povo, braço militar dos curdos sírios). Erdogan e o primeiro-ministro Davutoglu queriam oPYD não só banido de Genebra, mas, isso sim, esmagados em campo, porque para eles os PYD/YPG são "terroristas" aliados do PKK.

Mas... e o que fará o 'Sultão' Erdogan? Desafiar os recém-chegados jatos de combate 4G++ Sukhoi Su-35Ss - que já chegam matando de medo todos os "Dr.Fantásticos" da OTAN? A Força Aérea Turca ordenando "alerta laranja" em suas bases pode, no máximo, meter medo no proverbial cão errante que erre por ali. O mesmo se aplica ao decorativo secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg, implorando que a Rússia "aja com responsabilidade e total respeito ao espaço aéreo da OTAN."

Moscou vai à caça dos turcomenos sem dó, e ao mesmo tempo garante apoio aéreo ao PYD a oeste do Eufrates. É quando acerta o coração de copas do 'Sultão'; afinal, Erdogan ameaçou incontáveis vezes que qualquer avanço do PYD/YPG a oeste do Eufrates infring(i)(ria) linha vermelha absoluta.

Uma OTAN já gaga de medo não apoiará a loucura de uma guerra de Erdogan contra a Rússia - por mais que neoconservadores dos EUA e Grã-Bretanha anseiem por esse apoio. As decisões da OTAN têm de ser tomadas por unanimidade, e a última coisa que Alemanha e França, potências da União Europeia, querem é mais uma guerra no sudoeste asiático. A OTAN pode dispor os velhos mísseis Patriot na Anatólia sul e os velhos AWACs para apoiar a força aérea da Turquia. Mas é só. 

Pegue aí a mudança de regime que mais lhe apraza 

ISIS/ISIL/Daesh, enquanto isso, continuam a aproveitar-se de sua rodovia jihadista privada através dos 98 quilômetros da fronteira turco/síria, especialmente em Jarablus e Al Rai através de Gaziantep e Kilis na Turquia.

Aproveitando a dica de Israel, Ankara está construindo um muro - 3,6m de altura, 2,5m de largura - cobrindo o trecho entre Elbeyli e Kilis, essencialmente para finalidades de propaganda. Porque a Rodovia Jihadista continua aberta para todas as finalidades práticas -, mesmo que as Forças Armadas Turcas vez ou outra prendam algum atravessador (sempre libertado em seguida). Aqui estamos falando decontrabando monstro, contrabandistas 'regulares' e soldados. Cerca de $300 trocam de mãos todas as noites por cabeça que atravessa a fronteira para a Síria, e qualquer oficial turco pode ganhar ali coisa como $2.500 só para olhar para o outro lado por alguns minutos.

A verdadeira pergunta é por que Gaziantep não está sob toque de recolher imposto por Ankara, com milhares de Forças Especiais Turcas por ali lutando, na verdade, bem ali, uma "guera ao terô" [guerra ao terror, como Bush pronunciava as palavras]. Por quê? Porque Ankara e as autoridades locais não podem dar nem alguma mínima bola para o negócio ali: a verdadeira prioridade é a guerra de Erdogan contra os curdos.

Isso nos leva ao poder de alavancagem que o 'Sultão' possa ter nesse momento. De Bruxelas a Berlin, até mentes confiáveis já estão em pânico ante o risco de a UE estar, isso sim, presa como refém da "prioridade" curda de Erdogan - com Ankara fazendo praticamente nada para combater o tráfico massivo de migrantes.

Quando Davutoglu esteve recentemente em Berlin, não apenas nada prometeu: ele reafirmou a ameaça de Erdogan, de "aniquilar" os curdos sírios.

É o que explica o desespero da chanceler Angela Merkel da Alemanha. Como é possível que a suposta mais poderosa líder política de toda a Europa tenha caído num ardil nu e cru de extorsão? O 'sultão' quer montanhas de dinheiro, imensas concessões e até um empurrão para ser admitido na União Europeia. É isso, ou ele não fechará a torneira daquela obscura inundação de refugiados.

Não admira que a máquina da mudança de regime esteja em total frenesi. Em Ankara? Não. Em Berlin.*****

 

 
8358
Loading. Please wait...

Fotos popular