Pravda.ru

Notícias » Mundo


Carta ao Presidente Lula do Povo do Brasil

27.04.2018 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Carta ao Presidente Lula do Povo do Brasil. 28659.jpeg

Carta ao Presidente Lula do Povo do Brasil
AC: Superintendência da PF
Rua Professora Sandália Monzon, 210
Santa Cândida, Curitiba, PR
CEP 82640-000
 
Camarada Presidente Lula
 
SP. 19.04.18
-Saiba que esse é o momento mais triste de minha vida, ao escrever para vc enviando livros, quando poderíamos estar numa praça louvando o crescimento do país como em seu tempo, e continuando a abraçar a causa dos fracos e oprimidos. Sou de Itararé-SP, quando o conheci pessoalmente em áureos tempos em que eu era um rapaz que amava Os Beatles e Tonico e Tinoco, pois sou um dos fundadores do PT de lá. De lá para cá por décadas lutei, cresci, as mãos limpas, desde a infância humilde, tempos de fome, quando não havia bolsa família e quando parei a quarta-série porque pobre não estudava, não tinha conta em banco... Eu sonhava ser médico. Virei poeta. Trabalhei o bisturi da alma. Se fosse no seu tempo de importantes mudanças eu seria médico. Cedo fui educado na luta por justiça ainda que tardia, e o pai Brizolista me propiciou ser politizado muito antes de ser alfabetizado. 
-Agora, perdoe, amigo, nesses tempos tenebrosos de muito ouro e pouco pão, é difícil encontrar palavras. Sofrendo, brinco de fizer, FERIDOS VENCEREMOS! Vimos o país - sociedade brasileira de corruptos - sofrer, e líderes como Goulart, ou Getúlio, se matar, Brizola ser perseguido pela mídia abutre, depois a Dilma atacada por coxinhas-Hipoglós, depois vc, o nosso melhor presidente desde 1500; a história confirmará, pois, o melhor juiz é o tempo. Vivemos Mário Soares, Luther King, Mandela, Allende, Gandhi, e sabemos que nomes que mudaram o mundo como vc, sofreram nas mãos de uma corja de túnica, terno, gravata, túnica e toga.


-Sabendo-o preso, quando os acusadores que negociam com bandidos estão impunes e livres, máfias e quadrilhas palaciais, dói na alma, dói na história, dói na nossa bandeira de luta que sofre e sangra. Queria estar aí com vc, como tb queriam estar quase 50 milhões de brasileiros. Sentimos sua luta. Sentimos sua dor. Estamos juntos. Ninguém sabe o nome do carcereiro de Nelson Mandela...


-Cada dia que romper a aurora da república fascista de Curitiba, vc ainda ouvirá seu coração batendo o sangue que clama por justiça ainda que tardia. Somos nós, Lula, esse sangue em seu peito. Somos nós, Lula, esse oxigênio que vc respira, somos nós com a graça de Deus, essa força que abraça e imanta vc... Sê forte, amigo...


-Venho, ao longo de décadas que escrevo, mandando cartas para jornais, brigando em links da web, defendendo vc, como fiz com a Marta e a própria Erundina que tb foi perseguida. Por onde caminhar um peregrino buscando justiça social, lá estarei teimoso e turrão, lá estarei na poeira dos sapatos do sonhador cristão, dizendo, Presente!


-Nunca pensei que escreveria uma carta dessas, nesses tempos... Lutamos tanto contra uma ditadura incompetente, corrupta, violenta e senil, lutamos pela democracia de inclusão social, e com a queda da Dilma e a sua injusta prisão, parece que vivemos os tempos das masmorras, do medo, de uma nação enlutada, num regime de arbítrio, de exceção, um novo estado novo, por assim dizer. Estou escrevendo um livro sobre esse golpe, a priori chamado de QUE PAÍS É ISSO? - Tratado geral de Insurgência e desobediência Civil.


A luta é sempre. O fascismo está sempre no cio, dizia Maiakovski. Por isso escrevo aqui como quem tb manda parte de mim, para um pedaço apartado de mim, mas que soma ainda e luta e brilha com as milhões de lágrimas que choramos, porque nosso coração sofre, nosso espirito atribulado tenta desesperadamente energizar vc... Mas não é fácil. Depois, pensamos, se não é fácil para nós suportar esse desenredo de ditadura paisana, do judiciário corrupto, imagine para o Camarada e Companheiro numa prisão, julgado por hienas e chacais, falsos PHDeuses?


Difícil encontrar palavras. Mando um poema que fiz pra vc, faz algum tempo. Tenho outros textos, inclusive publicados em sites do exterior, dizendo da ignorância de uma oposição de corruptos e ladrões; dizendo de seu processo montado nas escuridões de tribunais sob os quais tb cresce o musgo, e de seu histórico de inclusão social de milhões. Sou de origem humilde, fui boia-fria, engraxate, vendedor de dolé de groselha preta, garçom, e locutor, cedo escrevendo para jornais de Itararé, só depois de 12 anos em SP finalmente terminando a quinta-séria para em seguida continuar estudos... Se fosse em sua época, eu não teria sofrido tanto, tb não teria passado fome, nem dormido na rua...


Logo que me dei por cidadão contribuinte, exercendo a cidadania, escrevi artigos, cartas, livros, fui processado por corruptos, perdi emprego, perdi bolsa na faculdade, mas eu sei e sabia qual era o meu lugar nas trincheiras pela legalidade... sei minha origem...


Só que nunca pensei que aqui gastaria minha cota de dor, minha tristeza, aqui, para escrever como se com uma faca entredentes, dizendo de minha solidariedade, de meu respeito, de meu afeto, de minha admiração. Perdoe se as palavras tb saem espremidas... O ódio venceu. O crime organizado no poder venceu.  SP, samparaguai, o estado-máfia comandando o câncer neoliberal da história. Corruptos Paulistas da gema, adoram paulistas corruptos da gema. Almas gêmeas?. Resistir é preciso. 


Já passo de 65 anos agora, e talvez ainda haja um tempo de levantar as últimas bandeiras, antes que meu coração pare e meu corpo vá ser enterrado no cemitério de Itararé, ao lado de minha mãe de origem negra e pobre, empregada doméstica, lavando roupas pra fora, quando foi humilhada, e tive então que ter a bendita da tal resiliência para prosseguir, prosseguir, honrando-a...


-Camarada Lula, vc será para sempre meu eterno presidente, e as grades que limitam vc, não limitam sua plantação de sonhos, sua seara, pois a esperança é a inteligência da vida, e, ao final de todos, se somos todos sementes, quantos de nós, como vc, serão flores e frutos, e recriarão para sempre, a Eterna Primavera?


-Força companheiro. É só o que podemos dizer agora. Perdoem as palavras aos solavancos... 
-Seguirei enviando outros livros, que dirão muito mais do que eu, de meu tempo, de minha dor, e de nossa resistência, porque delatar é preciso.


ATÉ A VITÓRIA
ATÉ A LIBERDADE
Poetinha Silas
De Itararé-SP
Morando em SP
E-MAIL: POESILAS@TERRA.COM.BR

 

 
7785
Loading. Please wait...

Fotos popular