Pravda.ru

Notícias » Desporto


A Comunidade Internacional Deve Encerrar a Ocupação da Palestina: Entrevista com Amit Gilutz

09.04.2017 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
A Comunidade Internacional Deve Encerrar a Ocupação da Palestina: Entrevista com Amit Gilutz. 26347.jpeg

A Comunidade Internacional Deve Encerrar a Ocupação da Palestina: Entrevista com Amit Gilutz

Amit Gilutz, porta-voz da ONG B'Tselem - Centro Israelense de Informação de Direitos Humanos nos Territórios Ocupados, comenta atual estágio das ocupações israelenses de terras palestinas. "Falta de vontade política de Israel em mudar a postura gera não apenas estagnação, como também faz com que a ocupação torne-se cada vez mais irreversível", afirma o ativista israelense pelos direitos humanos


Fundada há 28 anos por um grupo de proeminentes acadêmicos, advogados, jornalistas e membros do Knesset (Parlamento do Estado de Israel), B'Tselem, em hebraico "à imagem de", é uma organização israelense de direitos humanos dedicada a documentar e conscientizar o público israelense e seus políticos sobre as violações de direitos humanos nos Territórios Ocupados, a combater o fenômeno de negação predominante entre o público israelense, e na ajudada da criação de uma cultura de direitos humanos em Israel.

Independente e financiada por contribuições de fundações da Europa e da América do Norte, a B'Tselem - Centro Israelense de Informação de Direitos Humanos nos Territórios Ocupados atua principalmente a fim de se mudar a política israelense nos Territórios Ocupados, assegurar que seu governo, que controla os Territórios Ocupados, proteja os direitos humanos dos residentes, e cumpra suas obrigações de acordo com o direito internacional.

Edu Montesanti fala com Amit Gilutz, músico israelense, ativista por diritos humanos e porta-voz da B'Tselem, sobre a ocupação israelense da Palestina. "Congratulamo-nos com a resolução 2334 da ONU (condenando os assentamentos israelenses, votada em dezembro passado)", diz o ativista israelense.

Abaixo, a conversa com Amit.

Edu Montesanti: Por favor, Amit, fale sobre a B'Tselem: Como exatamente atua e o que a organização tem conquistado em defesa da justiça, e de uma solução para a tão longa ocupação israelense das terras palestinas?

Amit Gilutz - B'Tselem: O Centro Israelense de Informação de Direitos Humanos nos Territórios Ocupados foi fundado em 1989 por um grupo de jornalistas, acadêmicos, advogados e membros do MK (Parlamento israelense) durante o auge da Primeira Intifada, quando houve necessidade de uma precisa e verificável informação sobre os acontecimentos nos territórios ocupados.

Até hoje, somos principalmente um centro de informação e pesquisa: documentamos, analisamos e publicamos violações de direitos humanos que ocorrem sob a ocupação militar israelense, agora em seu quinquagésimo ano.

Nosso objetivo final é fechar nossos escritórios, assim que a ocupação - grave e fundamental violação do direito humano em si mesma - termine.


Qual sua avaliação do encontro do presidente Donald Trump com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em 15 de fevereiro? "Estou considerando a criação de dois Estados e de um Estado". Eu apreciaria a solução que as duas partes apreciem. Estou muito feliz com a que ambas as partes apreciam. Posso conviver com qualquer uma". Muitos dizem que o presidente Trump "assassinou" a solução de dois Estados nesse discurso...

B'Tselem não está atenta a uma formulação política específica para acabar com a ocupação, desde que defenda os direitos humanos e a dignidade de todas as pessoas. Temos acompanhado a sucessão de fatos e as declarações da administração de Trump, e tememos que as mesmas tendências que estamos vendo continuem ou se intensifiquem por um encorajado governo israelense de extrema-direita.

2016, por exemplo, registou um número recorde de demolições domésticas na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, e pelo que estamos vendo atualmente, 2017 está no mesmo caminho ou será ainda pior, com comunidades inteiras enfrentando risco de expulsão para abrir espaço à expansão dos assentamentos israelenses.

Independentemente de Trump, entretanto, a política israelense de construção e expansão de assentamentos, ao mesmo tempo que fragmentou o espaço palestino em 165 enclaves que não podem continuar aumentando, e uma ocupação contínua não planejada para sempre, têm sido uma constante em permanente crescimento.


Como a B'Tselem recebeu a Resolução 2334 do Conselho de Segurança das Nações Unidas votada em 23 de dezembro do ano passado, condenando os assentamentos israelenses como uma flagrante violação do direito internacional, e grande impedimento para a obtenção de uma solução de dois Estados?

Saudamos a resolução 2334, e esperamos que ela seja acompanhada de uma ação decisiva por parte da comunidade internacional para pôr fim à ocupação.

Há uma enorme disparidade de poder entre Israel e os palestinos, além da falta de vontade política de Israel em mudar a postura que gera não apenas estagnação, como também faz com que a ocupação torne-se cada vez mais irreversível com o passar do tempo.

 

 
6388
Loading. Please wait...

Fotos popular