Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Brasil: Taxa de Desocupação

31.01.2010 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Base: Dezembro de 2009

Em dezembro, desocupação fica em 6,8%

Em dezembro de 2009, a taxa de desocupação igualou a de dezembro de 2008 (6,8%, a menor da série) e caiu 0,6 ponto percentual em relação a novembro de 2009 (7,4%). A população ocupada (21,8 milhões) cresceu 1% em relação a novembro e 1,4% frente a dezembro de 2008. O número de trabalhadores com carteira assinada (9,8 milhões) cresceu 1,5% em relação novembro e manteve-se estável em relação a dezembro de 2008. A população desocupada (1,6 milhão) reduziu-se (-7,1%) em relação a novembro e ficou estável em relação a dezembro de 2008. O rendimento médio real habitual (R$ 1.344,40) caiu (-0,9%) em relação a novembro e subiu 0,7% frente a dezembro de 2008.

O rendimento médio real domiciliar per capita (R$ 855,03) caiu (-0,7%) em relação a novembro de 2009 e subiu 4,4% frente a dezembro de 2008. A massa de rendimento real habitual referente a dezembro de 2009 (R$ 29,6 bilhões) ficou estável em relação a novembro de 2009 e cresceu 2,3% em relação a dezembro de 2008. A massa de rendimento real efetivo referente a novembro de 2009 (R$ 31,5 bilhões) cresceu 6,9% em relação a outubro de 2009 e 2,5% em relação a novembro de 2008.

Em dezembro de 2009, a taxa de desocupação nas seis regiões metropolitanas investigadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre) foi de 6,8%, a mesmo de dezembro de 2008 e, igualmente, a menor da série da pesquisa, iniciada em março de 2002. Em relação a novembro de 2009 (7,4%), a taxa de desocupação reduziu-se em 0,6 pontos percentuais.

O contingente de desocupados (1,6 milhão) no total das seis regiões investigadas teve queda (-7,1%) em relação a novembro, que corresponde a uma redução de 122 mil desocupados no mês. Em relação a dezembro de 2008, houve estabilidade. Frente a novembro de 2009, Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre foram as únicas regiões metropolitanas com variações estatisticamente significativas no número de desocupados.

POPULAÇÃO OCUPADA

Em dezembro de 2009, a população ocupada (21,8 milhões) nas seis regiões metropolitanas investigadas pela PME cresceu 1% (mais 212 mil postos de trabalho), em relação a novembro, e 1,4% (mais 308 mil postos de trabalho) no confronto com dezembro de 2008.

Em relação a novembro de 2009 o grupamento do Comércio, reparação de veículos automotores e de objetos pessoais e domésticos e comércio a varejo de combustíveis foi o único com alteração significativa: alta de 2,3%. Em relação a dezembro de 2008, os únicos grupamentos com alterações foram Construção (5,3%) e Serviços Domésticos (8,4%).

O número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado (9,8 milhões) cresceu 1,5% em relação novembro (ou mais 141 mil postos de trabalho com carteira assinada) e manteve-se estável em relação a dezembro de 2008.

RENDIMENTO MÉDIO REAL

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 1.344,40) caiu (-0,9%) na comparação mensal e subiu 0,7% frente a dezembro de 2008.

Rendimento por posição na ocupação

Em relação a novembro de 2009, houve altas nos rendimentos dos empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado (1,2%), dos militares ou funcionários públicos estatutários, (0,4%) e dos trabalhadores por conta própria (1,3%). Nessa mesma comparação, houve queda no rendimento dos empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (-1,7%).

Em relação a dezembro de 2008, houve altas nos rendimentos dos empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado (10,7%), dos militares ou funcionários públicos estatutários (2,1%) e dos trabalhadores por conta própria (4,1%). Nessa mesma comparação, houve queda no rendimento dos empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (-2,1%).

Rendimento por grupamentos de atividade

No mês , houve altas no rendimento dos grupamentos da Construção (3,6%), Serviços prestados a empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (1,5%) e Serviços domésticos (0,8%).

Houve recuos para os grupamentos da Indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (-2,6%), Comércio, reparação de veículos automotores e de objetos pessoais e domésticos e comércio a varejo de combustíveis (-1,7%) e Outros serviços (-2,2%). O grupamento da Educação, saúde, serviços sociais, administração pública, defesa e seguridade social ficou estável.

Na análise anual , houve ganhos para os grupamentos da Construção (4,5%), Comércio, reparação de veículos automotores e de objetos pessoais e domésticos e comércio a varejo de combustíveis (4,4%), Serviços prestados a empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (6,1%), Educação, saúde, serviços sociais, administração pública, defesa e seguridade social (2,1%) e Serviços domésticos (4,5%).

Houve quedas no rendimento dos grupamentos de Indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (-0,7%) e Outros serviços (-7,5%).

RENDIMENTO DOMICILIAR PER CAPITA

Em dezembro de 2009, o rendimento domiciliar per capita verificado pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, na média das seis regiões metropolitanas investigadas (R$ 892,73) recuou (-0,7%) em relação a novembro de 2009 e subiu 4,4% em relação a dezembro de 2008.

MASSA DE RENDIMENTO

A massa de rendimento real habitual dos ocupados (R$ 29,6 bilhões) ficou estável em relação a outubro de 2009 e cresceu 2,3% em relação a novembro de 2008.

A massa de rendimento real efetivo dos ocupados (R$ R$ 31,5 bilhões) cresceu 6,9% em relação a outubro de 2009 e 2,5% em relação a novembro de 2008.

Ricardo Bergamini

 
6303
Loading. Please wait...

Fotos popular