Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Perseguição da solidariedade com a «causa palestiniana» está a aumentar

26.07.2019 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Perseguição da solidariedade com a «causa palestiniana» está a aumentar. 31424.jpeg

Perseguição da solidariedade com a «causa palestiniana» está a aumentar

O MPPM protesta contra a perseguição e a criminalização crescentes daqueles que se solidarizam com o povo palestiniano, nomeadamente Ángeles Maestro, em Espanha, e Khaled Barakat, na Alemanha.

Num comunicado emitido esta quarta-feira, o Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente (MPPM) protesta contra a perseguição à solidariedade com a «causa palestiniana».

Refere-se, concretamente, ao caso de Ángeles Maestro e de outras duas mulheres solidárias com a Palestina, que são acusadas pela Audiência Nacional espanhola de colaboração com «organização terrorista» por terem recolhido fundos para a reconstrução da Faixa de Gaza, após a agressão israelita de 2014, que entregaram a Leila Khaled, conhecida dirigente da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP).

Também perseguido pela sua actividade em prol da Palestina é Khaled Barakat, escritor palestiniano que, na Alemanha, foi alvo de uma «interdição política» que o impede de participar em quaisquer actividades ou eventos políticos. Barakat está ainda ameaçado, tal como Charlotte Kates, coordenadora internacional da Samidoun - Rede de Solidariedade com os Presos Palestinianos, com a não renovação da sua autorização de residência no país, explica o MPPM.

Khaled Barakat, que foi impedido pelas autoridades de Berlim, no passado dia 22 de Junho, de falar sobre o chamado «Acordo do Século», não se pode «envolver em quaisquer actividades políticas até 31 de Julho», revela a Samidoun no seu portal, acrescentando que o escritor palestiniano interpôs um recurso na Justiça alemã e, no passado dia 10 de Julho, falou no Parlamento Europeu sobre a repressão que os oradores palestinianos enfrentam na Europa e nos territórios sob ocupação israelita.

Tentativas de criminalizar e desligitimar a solidariedade com o povo palestiniano

No documento ontem divulgado, o MPPM destaca «o recrudescimento, em vários países, das tentativas de criminalizar e deslegitimar a solidariedade com o povo palestiniano, nomeadamente procurando estabelecer uma espúria equivalência da crítica ao sionismo e à política de Israel com o anti-semitismo». Exemplo disso, refere, é «a inaceitável resolução do Bundestag alemão visando equiparar a anti-semitismo o movimento internacional BDS (Boicote, Desinvestimento, Sanções)».

 

O MPPM denuncia ainda a adopção - também por Portugal - da definição de anti-semitismo da International Holocaust Remembrance Alliance (IHRA), que confunde «deliberadamente com anti-semitismo a crítica à política de Israel e ao sionismo», e «abre as portas à limitação da liberdade de expressão e à criminalização da solidariedade com a causa do povo palestiniano».

Personalidades, movimentos e partidos políticos solidários com «os legítimos direitos do povo palestiniano são alvo dessa linha de ataque», que é activamente promovida pelo Estado de Israel, nomeadamente através do seu Ministério dos Assuntos Estratégicos, denuncia o MPPM, frisando que, ao invés, se assiste a «uma cada vez maior aproximação entre o regime sionista de Israel e governos e forças políticas de extrema-direita, racistas e mesmo, esses sim, anti-semitas».

Neste contexto, o organismo solidário português reafirma «a inteira legitimidade da crítica ao sionismo e às políticas de Israel, e rejeita que esta seja assimilada ao anti-semitismo», como o têm feito nos últimos meses muitas centenas de académicos e intelectuais israelitas e judeus.

https://www.abrilabril.pt/internacional/perseguicao-da-solidariedade-com-causa-palestiniana-esta-aumentar

Foto: By Diario de Madrid - Diario de Madrid - El Ayuntamiento de Madrid conmemora el Día Internacional de Solidaridad con Palestina, CC BY 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=65811380

 

 
4963
Loading. Please wait...

Fotos popular