Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Brasil: Produção industrial cresce em sete das 14 regiões pesquisadas em Julho

04.09.2010 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física – Regional – Fonte IBGE

Base: Julho de 2010

Na passagem de junho para julho, sete dos 14 locais pesquisados apresentaram taxas positivas, já descontadas as influências sazonais. A maior expansão foi registrada em Goiás (10,3%), que praticamente recuperou a perda de 10,7% observada no mês anterior. Bahia (3,6%), Rio Grande do Sul (3,3%), região Nordeste (1,7%), Rio de Janeiro (1,1%) e São Paulo (0,5%) completaram o conjunto de locais que cresceram acima da média nacional (0,4%). Minas Gerais (0,1%) e Espírito Santo (-0,2%) praticamente repetiram o patamar de junho último. Os resultados negativos no período foram assinalados por: Pará (-0,7%), Pernambuco (-1,2%), Amazonas (-1,3%), Ceará (-1,5%), Paraná e Santa Catarina (ambos com recuo de 2,9%).

Na comparação julho 2010/julho 2009, os índices foram predominantemente positivos, com todos os locais registrando avanço na produção, à exceção de Santa Catarina, que apontou variação negativa de 0,1%. Vale citar que julho de 2010 (22) apresenta um dia útil a menos que julho de 2009 (23). A taxa positiva mais elevada foi registrada no Espírito Santo (24,7%), seguido por Paraná (18,1%), Amazonas (16,4%), Bahia (14,4%), região Nordeste (14,3%), Ceará (13,4%), Pernambuco (13,3%) e Minas Gerais (11,2%), todos com expansões de dois dígitos. Goiás, com crescimento de 8,8%, também ficou acima da média nacional (8,7%), enquanto Rio Grande do Sul (8,6%), Rio de Janeiro (8,0%), São Paulo (7,9%) e Pará (3,9%) assinalaram as outras taxas positivas.

O indicador acumulado no período janeiro-julho de 2010 também teve perfil generalizado de crescimento, com todos os locais apontando índices positivos. Espírito Santo (34,9%), Amazonas (26,4%) e Minas Gerais (20,5%) registraram as taxas mais elevadas nesse tipo de comparação, impulsionados em grande parte pelos avanços na indústria extrativa (minérios de ferro), no setor produtor de bens de consumo duráveis (televisores, telefones celulares, fornos de microondas e motocicletas) e em metalurgia básica (ferronióbio e lingotes, blocos, tarugos ou placas de aço). Também com expansões de dois dígitos e acima da média nacional (15,0%) figuram ainda: Paraná (19,3%), Goiás (18,9%), Pernambuco (17,3%) e Ceará (16,5%). Os demais resultados positivos foram observados em São Paulo e região Nordeste (ambos com 14,1%), Bahia (13,8%), Rio Grande do Sul (10,8%), Rio de Janeiro (10,4%), Santa Catarina (10,3%) e Pará (8,1%). No desempenho positivo destes locais observa-se o maior dinamismo dos setores produtores de bens de capital e de bens de consumo duráveis, além da recuperação gradual das exportações.

No confronto do desempenho acumulado no primeiro semestre do ano frente ao índice mensal de julho, ambas as comparações contra igual período do ano anterior, observa-se redução no ritmo de crescimento da atividade industrial na maior parte (12) dos 14 locais investigados, acompanhando o movimento do índice nacional, em que o setor passou de 16,2% no primeiro semestre do ano para 8,7% em julho. Vale destacar que esse movimento reflete não só o comportamento mais moderado da atividade industrial nos últimos meses, mas também a elevação da base de comparação, uma vez que o segundo semestre de 2009 mostrou ritmo mais intenso que o primeiro. Nesse tipo de confronto, Santa Catarina (de 12,3% para -0,1%), Goiás (de 21,0% para 8,8%), Espírito Santo (de 36,9% para 24,7%), Amazonas (de 28,2% para 16,4%) e Minas Gerais (de 22,4% para 11,2%) apontaram as maiores reduções de ritmo entre os dois períodos.

Prof. Dr. Ricardo Bergamini

 
3667
Loading. Please wait...

Fotos popular