Author`s name Igor Bukker

Por que não chamar "camaradas" aos passageiros dos transportes aéreos?

Por que não chamar camaradas dos passageiros dos transportes aéreos, se já não podem ser chamados de senhoras e senhores?

Aqueles que voam na British Airways não ouvirão mais "senhoras e senhores" nos anúncios. Os pilotos e comissários de bordo usarão saudações de gênero neutro.

Os anúncios que se ouve a bordo de um avião são para "refletir a diversidade" de quem viaja de avião.

Ao contrário da língua inglesa, a russa tem forte presença da categoria de gênero. A exceção, talvez, possa ser feita em relação à palavra sem gênero "camarada", que igualava representantes dos dois sexos. Tal inovação lingual enfureceu o Professor Preobrazhensky de Bulgakov, mas uma série de revoluções russas poderia servir como uma desculpa para tal padrão de discurso. No entanto, os britânicos não pararam de fazer quase o mesmo em tempos de paz.

A companhia aérea britânica não está sozinha nesse quesito e, se aprovada por autoridades superiores, se juntará a outras companhias aéreas que evitam citar mulheres e homens em seus anúncios:

Lufthansa,

EasyJet,

AirCanada etc.

Ainda no mês passado, outra companhia aérea europeia, a Air Malta, anunciou que seus pilotos usariam frases como "Atenção, todos os passageiros!" em vez de termos tradicionais e familiares.

Os fornecedores de transporte terrestre ultrapassaram seus pares no setor de viagens aéreas. O uso da frase "senhoras e senhores" foi descontinuado no transporte público de Londres em 2017.

Segundo o The Telegraph, a decisão foi tomada devido ao grande número de crianças que viajam após a quarentena, bem como com o objetivo de refletir novas realidades sociais.

Um porta-voz da BA disse em resposta às reivindicações:

“Celebramos a diversidade e a inclusão e temos o compromisso de garantir que todos os nossos clientes se sintam bem-vindos ao viajarem conosco.”

Não é segredo para ninguém que as elites transnacionais estão interessadas em reduzir a população mundial, daí a tendência de legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, legitimar o aborto e o notório movimento sem filhos. Se houver nações onde tais práticas não são bem-vindas, elas encontrarão outras maneiras de buscar o mesmo objetivo.

Claro, muitos passageiros se perguntam por que seu idioma tem que passar por mudanças tão bizarras. Alguém sempre ficará ofendido, não importa o quanto se tente alterar esses anúncios. Para coroar tudo isso, para a maioria das pessoas é muito mais importante que o vôo seja confortável e o avião pouse no horário, sem demora.

 

 

Tópicos