Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Como será a Síria sob o "novo e velho" presidente

A Síria continua a comemorar a reeleição do presidente Assad para um novo mandato.

Recorde-se que as eleições realizaram-se no dia 2 de junho e a afluência foi recorde de 80%. Mais de 14 milhões de pessoas participaram da votação.

Apenas uma província não votou - Idlib. Os militantes ainda estão no comando lá. E se seus residentes tivessem a oportunidade de votar? Eles apoiariam Bashar al-Assad ou não?

O cientista político sírio Anas Mohsen falou sobre a situação em Idlib no ar do programa Point of View.

Leia o início da entrevista:

Cientista político sírio explica por que o Ocidente classificou as eleições em seu país como ilegítimas

- Não se pode dizer que a província de Idlib se opõe totalmente a Assad. Mas uma parte significativa da população que mora lá poderia votar contra ele.

Todos se lembram que foi ali que as pessoas que depuseram as armas, nos termos do armistício, tiveram que deixar suas áreas dentro da Síria. E como resultado, muitas pessoas que são contra o estado se acumularam lá.

- Recentemente, foi relatado que o representante da inteligência britânica MI6, ex-enviado especial britânico para a Líbia Jonathan Powell se reuniu na fronteira entre a Síria e a Turquia com o líder da organização terrorista internacional Hayat Tahrir al-Sham, proibida na Rússia. Na zona Idlib. O que isto significa? A Grã-Bretanha apoiará o enclave de Idlib?

 

Pravda.Ru