Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

"Por favor nos ajudem, para que outros não têm que passar por isso"

As palavras de uma moça de 15 anos, forçada a se tornar uma soldado-criança, forçada a matar outra criança a tiro, recebeu treinamento militar durante um mês e depois foi enviada para a batalha contra as tropas do governo em Uganda. No entanto, os países que utilizam crianças como soldados incluem Israel, o Reino Unido e os E.U.A..


A moça de 15 anos citada acima, que foi forçada a se tornar uma soldado-criança em Uganda, foi forçada a lutar contra as tropas do Governo após o treinamento de apenas 35 dias, foi baleada porque ela deixou cair um recipiente de água, foi forçada a disparar contra outra criança, que estava tentando escapar e viu outro companheiro literalmente cortado em pedaços à catanada.


Crianças de até nove anos de idade são sequestradas, forçadas ou coagidas a combater, utilizadas como escravas sexuais, ou então para colocar minas. Muitas vezes são tratadas com brutalidade, negadas cuidados de saúde. No entanto, este não é apenas um fenômeno Africano: as crianças são usadas em conflitos na Ásia e na América Latina, a Força de Defesa de Israel, pelas forças armadas do Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e E.U.A., estes últimos países alegando que eles não podem aumentar a idade de alistamento para 18 anos devido à escassez de recursos humanos.


Dezenas de milhares de crianças ainda estão ativamente envolvidas em conflitos armados em todo o mundo, embora muitas outras dezenas de milhares de pessoas foram libertadas nos últimos anos em parte devido às actividades de Child Soldiers Global Report e posteriormente envolvidos em programas de DDR (Desmobilização, Desarmamento e Reintegração).


No entanto, entre 2004 e 2007, crianças foram ativamente envolvidas em conflitos no Afeganistão, Índia, Indonésia, Iraque, Israel, Territórios Palestinos Ocupados, Myanmar, Nepal, Filipinas, Sri Lanka, Tailândia e Iêmen (Ásia); Burundi, República Centro Africano , Chade, República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Serra Leoa, Somália, Sudão, Uganda (África) e Colômbia (América Latina).


As forças armadas britânicas enviaram menores de 18 anos para o teatro de combate no Iraque (2003 / 5) (mas a maioria destes foram removidos da zona de combate activo depois de uma semana) e as forças de defesa israelitas usaram crianças palestinas como escudos humanos em numerosas ocasiões. Maus-tratos e tortura eram uma prática comum em crianças detidas ao abrigo das disposições militares pela IDF de acordo com Child Soldiers Global Report.


As crianças foram recrutadas e usadas como forças auxiliares em mais 4 países: Irã (Ásia). Líbia e do Zimbabwe (África) e Perú (América Latina).


Enquanto triliões de dólares foram encontrados para salvar os bancos, enquanto um trilião de dólares foram gastos em guerras no Iraque e no Afeganistão, não há dinheiro suficiente para que a comunidade internacional lance programas de desenvolvimento para combater esse flagelo?


Timothy BANCROFT-HINCHEY
PRAVDA.Ru