Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Sonda indiana entre em órbita lunar

Primeira sonda lunar indiana entrou na sua última órbita polar em torno da Lua na tarde de quarta-feira e começou agora a monitorização remota da superfície, de acordo com o Indian Space Research Organization (ISRO).

Chandrayaan-1, significando “Aparelho Lunar” em sânscrito antigo, foi lançado a partir de um foguete PSLV-C11, construído na Índia, em 22 de Outubro.

A próxima etapa de uma missão de dois anos vai ser a liberação da Sonda Lunar Impacto, que tirará fotografias da Terra por satélite e vai analisar a composição da sua fina atmosfera antes de aterrar sobre a superfície lunar. Os pesquisadores esperam que a sonda irá descobrir sinais de hélio 3, um isótopo de combustível que pode alimentar a geração de energia de fusão nuclear no futuro, o ISRO afirmou.

A nave de 1304 kg está equipada com 10 instrumentos científicos para estudar a Lua a partir de uma órbita 100 km. Cinco dos instrumentos foram construídos na Índia, enquanto os outros cinco foram resultado da cooperação com a Europa e os Estados Unidos.

A monitorização remota por satélite vai criar uma mapa detalhada tridimensional da superfície da Lua e investigar a sua composição química. A meta principal é a descoberta de água, juntamente com magnésio, alumínio, silício e titânio, e os elementos radioativos radão, urânio e tório.

O ISRO disse que todos os sistemas da nave espacial não-tripuladas estavam funcionando normalmente após entrar órbita lunar e os instrumentos seriam activadas no futuro próximo.

“A análise dos dados recebidos a partir da nave espacial vai levar tempo. Os primeiros resultados podem ser esperados em várias semanas”, disse a organização.

Timofei BYELO

PRAVDA.Ru

Fonte: Ria Novosti