Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Entidade ambientalista vira tema de trabalho universitário

Uma organização não governamental de Cubatão, que luta pela preservação dos manguezais da cidade, motivou os alunos Jefferson Chaves e Rogério Pinheiro, do curso de Jornalismo do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte), de Santos-SP, a produzir um vídeo-reportagem apresentado como trabalho de conclusão de curso (TCC). Com o título “Vila Esperança de Bem Com o Mangue”, em referência ao local onde a ONG está localizada, os alunos procuraram mostrar um pouco das atividades da entidade, que existe desde o ano 2000.

Jefferson Chaves ressaltou que a mídia vem apresentando nos últimos meses o combate à degradação do meio ambiente como um dos principais desafios da humanidade nos próximos anos, lembrando que essa informação despertou nos universitários a curiosidade de saber como estava sendo tratada a questão em Cubatão. “Conversamos com pessoas que trabalham com o objetivo de frear a violação das áreas de preservação permanente na cidade e percebemos que essa iniciativa poderia render um bom vídeo-reportagem”, explicou.

Foram entrevistados o presidente da ONG, Sebastião Ribeiro do Nascimento, o secretário de Meio Ambiente de Cubatão, Eduardo Bello, e o catador de caranguejo Nilton dos Santos, que enriqueceu o vídeo-reportagem com suas declarações. “As filmagens com Nilton foram uma experiência marcante, pois entramos no mangue juntamente com ele e presenciamos o trabalho difícil que é ter de sobreviver da pesca do caranguejo”, disse Chaves. “Realmente aprendemos bastante com isso”.

Para Rogério Pinheiro, além do desafio de registrar o trabalho dos pescadores de caranguejo, o TCC serviu para mostrar para os próprios moradores de áreas de mangue a importância da preservação. “Durante as filmagens, conversamos com muita gente da comunidade e trocamos idéias que esperamos que possam ter ajudado a mudar alguma coisa”, afirmou.

Pinheiro lembrou que a interação com as pessoas envolvidas no vídeo-reportagem serviu como uma lição de vida. “Essa experiência nos mostrou que é possível e necessário realizar trabalhos acadêmicos que divulguem a realidade de comunidades carentes e, conseqüentemente, debater possíveis soluções para os problemas que não são só deles, mas de todos nós”.

O TCC foi orientado pela professora Chrystianne Leite e pelo professor e jornalista Adelto Gonçalves, doutor em Letras pela Universidade de São Paulo.