Author`s name Creator

Declarações de Putin na Conferência de Segurança de Moscou

O presidente russo, Vladimir Putin, falou na Conferência de Segurança de Moscou

Moscou, 16 de agosto- RIA Novosti. O presidente russo, Vladimir Putin, falou no Jubileu, a 10ª Conferência de Moscou sobre segurança internacional. As principais declarações do líder russo estão no material RIA Novosti.

Sobre as tentativas do Ocidente de manter a hegemonia

— “A situação no mundo está mudando dinamicamente, os contornos da ordem mundial multipolar estão sendo formados, mais e mais países e povos estão escolhendo o caminho do desenvolvimento livre e soberano com base em suas identidades, tradições e valores”.


—”Os processos objetivos são combatidos pelas elites globalistas ocidentais, provocando o caos, incitando velhos e novos conflitos, implementando a política da chamada dissuasão e, de fato, minando quaisquer caminhos alternativos e soberanos de desenvolvimento”.


—”Os Estados Unidos e seus vassalos interferem grosseiramente nos assuntos internos dos estados soberanos: organizam provocações, golpes de estado, guerras civis. Com ameaças, chantagem e pressão estão tentando forçar estados independentes a obedecer à sua vontade, a viver de acordo com as regras de outras pessoas para eles”.

“Tudo isso é feito com um objetivo em mente — manter seu domínio, aquele modelo que permite parasitar em todo o mundo, como era há séculos, e esse modelo só pode ser mantido pela força”.

Sobre a ameaça à segurança europeia

—”O chamado Ocidente coletivo está deliberadamente arruinando o sistema de segurança europeu, montando todas essas novas alianças militares”.

—”O bloco da OTAN está se movendo para o leste, aumentando sua infraestrutura militar, incluindo a implantação de sistemas de defesa antimísseis e aumentando as capacidades de ataque das forças ofensivas. Declaram hipocritamente uma necessidade de fortalecer a segurança na Europa, mas, na realidade, o oposto está acontecendo”.

—”Ao mesmo tempo, as propostas apresentadas pela Rússia em dezembro do ano passado sobre medidas de segurança mútua foram simplesmente mais uma vez ignoradas”.

Sobre a operação especial na Ucrânia

—”Para manter sua hegemonia, eles precisam de conflitos. É por isso que eles prepararam o povo da Ucrânia para o destino de bucha de canhão, implementaram o projeto anti-Rússia, fecharam os olhos para a disseminação da ideologia neonazista, para os massacres dos moradores de Donbass enquanto o regime de Kiev bombeava e continua bombeando os mesmos”.


—”Decidimos realizar uma operação militar especial na Ucrânia em total conformidade com a Carta das Nações Unidas”.


—”Os objetivos desta operação são definidos de forma clara e concisa — isso é garantir a segurança da Rússia e de nossos cidadãos, protegendo os moradores de Donbass do Genocídio”.


—”Os EUA estão tentando prolongar esse conflito enquanto de uma mesma maneira agem para alimentar um potencial de conflito na Ásia, África e América Latina”.

Sobre as políticas dos EUA e da OTAN na região Ásia-Pacífico

—”O Ocidente coletivo procura estender seu sistema de blocos para a região Ásia-Pacífico por analogia com a OTAN na Europa. Para esse fim, alianças político-militares agressivas, como AUKUS e outras, estão sendo formadas”.

—”Os Estados Unidos mais uma vez deliberadamente tentam adicionar combustível ao fogo e agitar a situação na região da Ásia-Pacífico”.


—”A aventura americana em relação a Taiwan não é apenas uma viagem de um político irresponsável separado, mas parte de uma estratégia deliberada e consciente dos EUA para desestabilizar e randomizar a situação na região e no mundo, uma demonstração descarada de desrespeito pela soberania de outros países e suas obrigações internacionais. Vemos isso como uma provocação cuidadosamente planejada”.


—”Com a ajuda de tais ações, as elites globalistas ocidentais, também tentam desviar a atenção de seus próprios cidadãos de problemas socioeconômicos agudos: — queda nos padrões de vida, desemprego, pobreza, desindustrialização— Tentam aqui transferir seus próprios fracassos para outros países como é o caso com as falsas acusações contra a Rússia e a China, que defendem seu ponto de vista, constroem uma política soberana de desenvolvimento não obedecendo aos ditames das elites supranacionais”.

Sobre maneiras de reduzir a tensão

—”É possível superar ameaças e riscos na esfera político-militar, aumentar o nível de confiança entre os países e garantir seu desenvolvimento sustentável apenas fortalecendo radicalmente o sistema do mundo multipolar moderno”.


—”Não importa como os beneficiários do atual modelo globalista se apeguem ao estado habitual de coisas, ele está condenado. Mudanças geopolíticas em escala histórica estão indo em uma direção completamente diferente”.


—”É o mundo multipolar, construído sobre o direito internacional, em relações mais justas, que abre novas oportunidades para combater ameaças comuns”.

Sobre o papel da Rússia


—”Como antes a Rússia continuará a participar ativamente de forma proativa, num trabalho conjunto coordenado, juntamente com seus aliados, parceiros e pessoas afins, para melhorar os mecanismos atuais de segurança internacional e criar novos, fortalecer consistentemente as forças armadas nacionais e outras estruturas de segurança, aumentando seu equipamento com armas modernas e equipamentos militares”.


—”Para garantir nossos interesses nacionais, bem como a proteção de nossos aliados, para tomar outras medidas para construir um mundo mais democrático, onde os direitos de todos os povos e a diversidade cultural e civilizacional são garantidos”.


—”Devemos restaurar o respeito pelo direito internacional, por suas normas e princípios fundamentais”.

Ключевые заявления Путина на Московской конференции по безопасности

Президент России Владимир Путин выступил на Московской конференции по безопасности

Fonte: RIA NOVOSTI

Traduzido e revisado por Anna Malm

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter