Author`s name Petr Ermilin

Incêndio do cruzador Moskva: O que aconteceu?

Em 14 de abril, por volta das 2 da manhã (horário de Moscou), o Ministério da Defesa russo informou que um incêndio deflagrou a bordo do cruzador de mísseis Moskva, o maior e mais poderoso navio de guerra da frota russa do Mar Negro. Também foi dito que o incêndio causou a explosão de munição a bordo do cruzador.

"O navio foi seriamente danificado. A tripulação inteira foi evacuada. As causas do incêndio estão sendo estabelecidas", disse o Ministério da Defesa em uma declaração citada pela TASS.

O navio-estandarte da frota do Mar Negro, o cruzador Moskva, mantém a flutuabilidade, disse o Ministério da Defesa.

De acordo com a agência: 

  • as principais armas de mísseis do navio não foram danificadas,
  • o fogo no navio foi contido,
  • As explosões de munição foram interrompidas.

O cruzador está prestes a ser rebocado para o porto, acrescentou o ministério.

O cruzador Moskva é um dos três navios de guerra Atlânticos do Projeto 1164 que foram construídos. A Rússia tinha planos de construir mais três cruzadores do projeto - a Revolução de Outubro, o Almirante da Frota da União Soviética Gorshkov e os Komsomolets. A construção dos dois primeiros foi cancelada em 1990, enquanto o último, sendo 95% concluído, foi entregue à Marinha ucraniana após a divisão da Frota do Mar Negro da URSS. Além do cruzador Moskva, a Marinha russa está armada com cruzadores de mísseis Marechal Ustinov e Varyag.

Ainda não se sabe se o cruzador Moskva será restaurado. Representantes da United Shipbuilding Corporation recusaram comentários.

Navio de guerra desatualizado, mas poderoso

O cruzador Moskva não passou por uma modernização completa, ao contrário do cruzador Marechal Ustinov do mesmo tipo, disse Ilya Kramnik, especialista em assuntos da marinha no Centro de Estudos Norte-Americanos.

"O Moskva estava passando por reparos com modernização limitada, como dizem às vezes - com elementos de modernização". O Moskva não tinha uma série de sistemas de combate modernos, nem estava equipado com sistemas modernos de extinção de incêndio. Talvez este seja um dos fatores que afetou a capacidade da tripulação de combater o incêndio", explicou o especialista, relata a RBC.

É pouco provável que a incapacidade de Moskva afete o curso da operação especial na Ucrânia, já que a maioria das hostilidades ocorre em terra.

O navio foi usado como uma estação de radar em primeiro lugar para fornecer dados de radar a outros navios de guerra do grupo naval russo. O cruzador tinha um sistema de radar ultrapassado, mas ainda assim bastante poderoso, observou Kramnik.

"Se assumirmos que o fogo a bordo do navio eclodiu como resultado de ações inimigas, então temos um fato comprovado que a Ucrânia recebe informações de inteligência e designações de alvos dos países da OTAN, acredita o especialista.

Gostaríamos de lembrar aos nossos leitores que a Pravda.Ru, como órgão de comunicação social, de acordo com a legislação russa, distribui informações sobre os detalhes da operação militar na Ucrânia com base em informações de fontes oficiais russas.

A história do cruzador Moskva

O cruzador de mísseis Moskva é o principal navio da frota do Mar Negro. Ele foi comissionado em dezembro de 1982.

  • O deslocamento do Moskva é de 11.300 toneladas.
  • Ela está armada com 16 lançadores de mísseis supersônicos anti-navio P-1000 Vulkan.
  • O navio também transporta armas anti-submarino e anti-míssil, artilharia, sistemas de defesa aérea.
  • A tripulação do cruzador, de acordo com informações no site do Ministério da Defesa, conta com 680 pessoas.

Em 2008, o cruzador Moskva participou de operações militares na Geórgia. Em março de 2014, o cruzador, juntamente com outros navios da frota do Mar Negro, participou do bloqueio da Marinha ucraniana na Baía de Donuzlav. Em 2015, ela forneceu uma cobertura para o grupo de aviação das Forças Aeroespaciais russas na Síria.

Em fevereiro de 2022, durante a operação russa na Ucrânia, o cruzador Moskva participou da missão de assumir o controle da Ilha da Serpente (Ostrov Zmeiny).

"O cruzador Moskva é um navio poderoso, mas na realidade ela está desesperadamente e profundamente ultrapassada. Ela tem uma defesa aérea de curto alcance extremamente fraca e questões de defesa aérea em geral", disse Vasily Kashin, diretor do Centro de Estudos Compreensivos Europeus e Internacionais da Escola Superior de Economia.

O cruzador não havia participado seriamente da operação especial na Ucrânia, uma vez que o navio não foi capaz de disparar seus mísseis de cruzeiro contra alvos terrestres, disse Kashin. A perda deste navio significa uma perda somente do ponto de vista de prestígio - nenhuma conseqüência prática se seguirá, acrescentou o especialista, relatórios da RBC.

Ucrânia distribui vídeo falso sobre a destruição de Moskva

Andrey Biletsky, o fundador do batalhão nacionalista Azov* da Ucrânia (proibido na Rússia), publicou um vídeo de um míssil ucraniano Neptune que supostamente atingiu o cruzador de mísseis Moskva da Rússia. 

Muitos veículos de mídia de massa republicaram o vídeo. No entanto, o vídeo é falso

O vídeo de Biletsky é uma peça espelhada e recortada de uma demonstração de um foguete norueguês, que foi filmada há nove anos. O vídeo original foi postado em 2013. 

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter