Author`s name Dmitry Sudakov

Putin diz a Biden que Rússia está pronta para encerrar totalmente relacionamento com EUA

A conversa telefônica entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e seu colega russo, Vladimir Putin, terminou às 16h25, horário de Washington (00h25, horário de Moscou).

Mais cedo, a Casa Branca disse que a conversa começou às 15h35, horário de Washington (23h35, horário de Moscou). Assim, a conversa durou 50 minutos.

Biden está atualmente hospedado em sua casa em Wilmington, Delaware, onde passa o fim de semana. Mais cedo, o secretário de imprensa de Putin, Dmitry Peskov, disse à TASS que a conversa entre os dois presidentes começou na hora.

Esta se tornou a segunda conversa entre os dois presidentes no mês passado. Em 7 de dezembro, Putin e Biden conversaram por meio de um link de vídeo que durou duas horas.

A iniciativa para a nova conversa partiu de Putin. Como Peskov disse anteriormente a repórteres, o objetivo das conversas era continuar a discussão dos assuntos que haviam sido colocados na pauta da conversa anterior entre os presidentes.

Em 10 de janeiro, a Rússia e os Estados Unidos devem realizar negociações sobre garantias de segurança em Genebra. Além disso, uma reunião do Conselho Rússia-OTAN ocorrerá em 12 de janeiro e as conversações entre representantes da Federação Russa e da OSCE ocorrerão em 13 de janeiro.

O assessor de Putin, Yuri Ushakov, revelou alguns detalhes de uma conversa telefônica entre Vladimir Putin e seu colega, o presidente dos EUA, Joe Biden. Durante o diálogo, os dois presidentes discutiram várias questões, incluindo o estado das coisas na Ucrânia e o risco do término completo da cooperação entre a Rússia e os Estados Unidos, informa a TASS.

Durante a conversa, Biden alertou seu colega russo que o Ocidente desenvolveria sanções em larga escala e sem precedentes nas esferas econômica e militar caso a crise na fronteira ucraniana continuasse a aumentar. Em resposta, Putin prometeu cortar as relações entre a Rússia e os EUA se novas medidas restritivas forem implementadas.

"Nosso presidente respondeu imediatamente a isso dizendo que, se o Ocidente ainda decidir introduzir as sanções sem precedentes mencionadas acima sob certas condições, tudo isso pode levar ao término completo das relações entre nossos países. às relações da Rússia com o Ocidente em geral", disse Yuri Ushakov.

Possíveis sanções contra a Rússia seriam um grande erro, acrescentou Putin.

"Muitos desses erros já foram cometidos nos últimos 30 anos, por isso é aconselhável não cometer mais erros nesta situação", concluiu Ushakov.

Sanções sem precedentes

Ao mesmo tempo, durante a conversa com Putin, Biden não especificou por quais ações a Rússia teria que enfrentar as novas sanções em larga escala.

"Isso não implica em nada, porque não sabemos o que significa "sanções em grande escala", mas sabemos que será um erro colossal que levaria a consequências mais sérias", disse o assessor de Putin, Yuri Ushakov.

Em 24 de dezembro, a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, disse que a Rússia poderia enfrentar sanções mais fortes como você nunca viu antes devido à crise na fronteira ucraniana. Em entrevista à CBS, Harris ignorou a questão da possibilidade de uma "guerra quente na Europa" em um futuro próximo e disse que Washington explicaria a necessidade de preservar a soberania da Ucrânia a Moscou.

Biden prometeu não implantar armas na Ucrânia

Durante a conversa telefônica, Biden prometeu a Putin que os Estados Unidos não implantariam armas de ataque ofensivas na Ucrânia. Este é um aspecto fundamental para o lado russo.

Projetos de acordos entre a Federação Russa, a OTAN e os Estados Unidos foram apresentados em 17 de dezembro. Nos documentos, a Rússia pediu que a OTAN e os EUA não vissem a Rússia como um rival. A Rússia também pediu para não representar uma ameaça de escalada militar e impedir a expansão da OTAN para o leste.

Um porta-voz do governo americano disse que os Estados Unidos estão acompanhando de perto os movimentos das tropas russas na fronteira ucraniana.

O Kremlin disse que a conversa franca que Putin e Biden tiveram foi benéfica para ambos os lados. O serviço de imprensa do departamento apontou especificamente que o presidente russo deu uma resposta exaustiva à possibilidade de novas sanções contra a Rússia.

 

 

Tópicos