Agora ou nunca: Vucic deve proteger os sérvios em Kosovo e Metohija

O presidente sérvio Aleksandar Vucic deve enviar um exército para Kosovo e Metohija para proteger os sérvios. Caso contrário, os albaneses realizarão uma operação semelhante à Operação Tempestade que os croatas haviam conduzido contra a Krajina sérvia.

Terror contra os sérvios em Kosovo e Metohija

A maioria albanesa desencadeou o terror contra os sérvios na província de Kosovo e Metohija da Sérvia. A prisão de Dejan Pantic, ex-membro da chamada polícia de Kosovo, tornou-se um dos últimos incidentes. Pantic, juntamente com seus colegas, parou de trabalhar em 5 de novembro em protesto contra a mudança das placas de licença dos veículos sérvios.

Há dois dias, as Forças Especiais de Kosovo (NJSO) invadiram os municípios autônomos sérvios. Para impedir que Pantic fosse transferido para Pristina, os sérvios montaram barricadas.

De acordo com a mídia sérvia, Albin Kurti, o chefe do Kosovo (a Rússia não reconhece o Kosovo como um Estado independente - ed.), entrou em contato com representantes dos cinco mantenedores da paz (Grã-Bretanha, Alemanha, Itália, EUA, França) do Acordo de Bruxelas. Kurti informou aos representantes que as forças de segurança albanesas tomariam todas as medidas para remover as barricadas no norte.

Kurti deu aos sérvios um ultimato para remover os bloqueios das estradas principais.

Vucic reúne o Conselho de Segurança Sérvio

Em resposta, o presidente sérvio Aleksandar Vucic convocou uma reunião do Conselho Nacional de Segurança em 11 de dezembro às 21h00, horário de Moscou.

Vucic disse ontem à noite que enviaria um pedido ao Comandante da Força de Kosovo (KFOR - a força internacional liderada pela OTAN responsável pela manutenção da estabilidade em Kosovo) solicitando o retorno do exército e do pessoal policial sérvio ao território de Kosovo e Metohija, de acordo com a Resolução 1244 do Conselho de Segurança da ONU.

Ele certamente entende que seu pedido não será atendido, já que o diplomata de topo da UE, Josep Borrell, exigiu que os sérvios removessem as barricadas ilegais, como ele disse.

Vucic tem duas maneiras de trazer o exército para a província, acredita o analista político Predrag Rajic do Centro de Estabilidade Social.

"Uma maneira é o próprio comandante da KFOR chamar nossas forças se achar necessário". A outra é que o Conselho de Segurança Sérvio tome tal decisão (com base na Resolução 1244 do CSNU). É importante que todos nos levem muito a sério quando dizemos que protegeremos nosso povo se ele for atacado", disse o especialista a Kurir.rs.

Na Sérvia, eles entendem que não têm a opção nº 1. A primeira-ministra sérvia Ana Brnabic disse que a única forma de ser ouvida é nas barricadas, infelizmente.

"Albin Kurti levou todos nós, os sérvios e os albaneses, à beira da guerra, mas Albin Kurti não o fez sozinho". Estamos lidando com o comportamento completamente ignorante de nossos parceiros e da União Européia, que não reagem ou reagem quando o "fogo está queimando", disse Brnabic em uma coletiva de imprensa.

A maioria albanesa ameaça a limpeza étnica dos sérvios

Kurti disse que a Sérvia quer continuar a guerra que perdeu há 23 anos, informou a imprensa albanesa. Segundo ele, Belgrado se comporta da mesma forma que antes.

"A Sérvia não esconde que quer voltar ao Kosovo, ou seja, continuar a guerra perdida. É a militarização da Sérvia que nos levou a isso. Eles alocam muito dinheiro para o exército e para as armas. A militarização, acompanhada de ambições hegemônicas, representa uma ameaça para toda a região", disse o primeiro-ministro do Estado de Kosovo parcialmente reconhecido.

Tome Gashi, um conhecido blogueiro e advogado de Kosovo, advertiu os sérvios nas mídias sociais que a Operação Tempestade poderia ser facilmente repetida à maneira albanesa, quando os croatas liquidariam a Krajina sérvia.

"Os sérvios devem se lembrar que a Operação Tempestade pode ser facilmente replicada na versão albanesa e que Vucic não aprendeu nada com seu chefe espiritual Milosevic", escreveu Gashi.

A destruição da Krajina sérvia foi uma das maiores operações terrestres e de limpeza étnica que a Europa havia visto desde a Segunda Guerra Mundial.

Mais importante ainda, a KFOR apoiará Pristina, já que a unidade da OTAN na KFOR é composta por albaneses, o que é outra forma de pressão sobre a população sérvia.

Vamos ver se Vucic se atreve a dar um passo independente.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin