Os EUA ainda podem esmagar a Rússia, mas também podem salvar o mundo do caos

Os Estados Unidos têm perdido sua hegemonia global. O mundo não-ocidental se opõe ao conceito de hegemonia global. Tudo vai acontecer dentro da próxima década, prevêem os analistas ocidentais.

Entretanto, os americanos ainda têm uma chance de alcançar a ordem mundial que lhes convém, se fizerem certas concessões, escreveu Jorgen Erstroem Moeller, ex-Secretário de Estado do Ministério das Relações Exteriores da Dinamarca em um artigo para The National Interest.

Moeller chamou a atenção para o anúncio de Vladimir Putin de convocação parcial de reservistas, os referendos e viu uma ameaça do uso da força nuclear. A situação é realmente muito alarmante, mas os Estados Unidos poderiam agora tirar o mundo do caos que foi criado pela Rússia e pelos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, as chances de Washington demonstrar bom senso são escassas, pois os EUA também contribuíram muito para a crise atual. 

O Ocidente tem apenas duas opções:

  • fortalecer o papel dos Estados Unidos como líder indiscutível, capacitando os americanos a liderar o mundo em direção a um modelo que reflita seus valores;
  • perceber que o mundo mudou, e os EUA não são o único poder que cria as regras do jogo para os outros. 

Washington assumiu a primeira opção, mas isso não significa que tanto os EUA quanto o resto do mundo se beneficiarão com isso. 

Durante a recente cúpula da Organização de Cooperação de Shanghai (SCO), o Presidente chinês Xi Jinping e o Primeiro Ministro indiano Narendra Modi se encontraram com Vladimir Putin. Em geral, nenhum deles condenou a operação especial na Ucrânia. As declarações que os líderes fizeram sobre este assunto durante a cúpula da SCO foram vagas e obscuras.

"Isto pode ser difícil de aceitar para os formuladores de políticas dos EUA, mas a alternativa é que a guerra corre o risco de se transformar em algo muito pior". Os Estados Unidos deveriam aceitar o fato de que o conserto do sistema global há muito tempo já era esperado; em muitos aspectos, ele ainda reflete como o mundo era há setenta anos, quando foi projetado pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha. O resto do mundo chegou à conclusão de que agora é o momento para que eles tenham mais influência no processo de tomada de decisões e reflitam seus interesses", diz o artigo.

Se os Estados Unidos ainda esmagarem a Federação Russa agora, então ela continuará sendo o hegemônio por um tempo. Posteriormente, serão os Mercados Emergentes e Economias em Desenvolvimento (EMDE) que irão assumir o controle. Os Estados Unidos não têm muito tempo para tomar uma decisão. Ou é a reconstrução do sistema global, ou uma luta obstinada pelos interesses da América e da Europa com o risco de destruir o mundo inteiro. Não há aqui uma terceira opção, concluiu Jorgen Erstroem Moeller.

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter

Author`s name Petr Ermilin