Author`s name Petr Ermilin

Troca inesperada de POW Rússia-Ucrânia: O que isso significa?

Kyiv entregou o oposicionista ucraniano Viktor Medvedchuk à Rússia como parte de uma operação de troca de prisioneiros, noticiou o jornal Kommersant. O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky confirmou a informação mais tarde.

Na Ucrânia, Medvedchuk foi acusado de traição, violação das leis e costumes da guerra, ajuda ao terrorismo e apropriação indevida de depósitos minerais na Crimeia.

Medvedchuk foi colocado sob prisão domiciliar em maio de 2021. Em março de 2022, ele foi preso à revelia por fugir da prisão domiciliar após o início da operação militar especial, como disseram as autoridades de Kiev. Em abril, Medvedchuk foi detido e voltou a ser preso sem fiança.

Antes, ficou conhecido que a Rússia libertou vários mercenários estrangeiros que haviam sido condenados à morte na República Popular de Donetsk (DPR). Os britânicos Saun Pinner e Aiden Aslin, assim como o cidadão marroquino Saadoun Brahim, estão entre eles.

Uma declaração do Ministério da Defesa russo:

"Esta noite, 55 militares das Forças Armadas da Federação Russa, Donetsk e Luhansk foram libertados do território controlado por Kyiv, na Ucrânia. <…>

Todos os militares liberados tiveram a oportunidade de contatar seus parentes. Eles recebem a assistência psicológica e médica necessária".

O lado ucraniano anunciou anteriormente a libertação de 215 de seus militares, incluindo 108 combatentes do regimento Azov* (reconhecido na Rússia como uma organização terrorista).

Como parte da troca, em particular, Kyiv entregou o "padrinho de Putin" Medvedchuk a Moscou, e a Rússia libertou os comandantes do regimento Azov Radis e Kalina, assim como o comandante da 36ª Brigada de Marines das Forças Armadas da Ucrânia Volyn.

Especialistas acreditam que a troca de militares e comandantes do regimento Azov* por prisioneiros de guerra Medvedchuk e russos, realizada sob as garantias da Turquia e da ONU, é um sinal de desescalada do conflito militar. A troca de Azov* e mercenários estrangeiros ocorreu no dia em que Putin anunciou a convocação parcial. Isto sugere que esta foi uma decisão instantânea.

A troca de prisioneiros de guerra não é apenas uma parte do acordo. Ela vem como uma confirmação do cumprimento das obrigações de cada um. Este é um elemento importante para as próximas negociações políticas e para a desescalada das tensões.

*grupo terrorista, banido na Rússia

Subscrever Pravda Telegram channel, Facebook, Twitter