Pravda.ru

Mundo

O Chile celebra o fim da Constituição de Pinochet

27.10.2020
 
O Chile celebra o fim da Constituição de Pinochet. 34239.jpeg

O Chile celebra o fim da Constituição de Pinochet

 

Milhões de chilenos vieram esta noite para as ruas festejar a grande vitória do «sim» no plebiscito constitucional, na sequência das mobilizações populares que há mais de um ano abalam o país austral.

 

Segundo os dados divulgados pelo Serviço Eleitoral do Chile, o «sim» a uma nova Constituição no plebiscito realizado este domingo recolheu 5 886 202 votos (78,27% dos votos expressos) e o «não» 1 634 085 votos (21,73%). A participação rondou os 51% dos cidadãos habilitados para votar.

Na capital, horas antes do encerramento dos locais de votação (20h), as pessoas começaram a juntar-se na praça baptizada como Praça da Dignidade, local emblemático e de grandes manifestações para o movimento social após a revolta iniciada a 18 de Outubro de 2019.

Com o passar das horas, as centenas tornaram-se milhares e centenas de milhares - na praça e nas avenidas que nela desembocam. Viam-se bandeiras nacionais e do povo Mapuche, bandeiras do movimento a favor de uma nova Constituição e da campanha pela Convenção Constituinte (em que todos os delegados são eleitos pela população) - opção também amplamente vitoriosa sobre a Convenção Mista (composta por deputados em funções e delegados eleitos por votação popular).

Fogo de artifício, cânticos como «El pueblo unido jamás será vencido» e raios laser a iluminar a praça também fizeram parte da festa, que, indica a Prensa Latina, se repetiu em vários outros pontos de Santiago, cujas avenidas eram percorridas por caravanas de automóveis ruidosos.

Ao longo do dia, nas urnas, o povo chileno ratificou uma das exigências a que milhões deram expressão nas ruas ao longo de um ano, desde Outubro de 2019. Este domingo marca o fim da Constituição imposta pela ditadura em 1980, mesmo com as reformas sofridas nas últimas três décadas.

Agora, inicia-se um processo longo que incluirá a eleição e a designação dos membros da Convenção Constitucional, que terão a responsabilidade de redigir a nova Constituição e de nela expressar as exigências populares. O papel da mobilização social não terminou no Chile, bem pelo contrário.

 

https://www.abrilabril.pt/internacional/o-chile-celebra-o-fim-da-constituicao-de-pinochet

 

Crédito da fotografia: latercera.com

 


Fotos popular