Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Mensagens do Ano Novo

Dos EUA/Canadá:

Paz, Felicidade e um Mundo Melhor para o Próximo Ano

Termina o ano de 2007 de uma forma muito instável. Os líderes de nações poderosas irão ser substituídos. Acabamos de testemunhar o assassínio chocante de Benazir Bhutto. Homens desprezíveis tocam os tambores de guerra. O mundo espera para ver se a razão e a lei internacional irão prevalecer ou serem descartados a favor de caos, ódio, força bruta e violência.

Porém tem havido muitos indicadores positivos. Como o florescer de novo amor, como os primeiros raios de um novo alvor, tem aparecido pessoas proeminentes que, juntamente com heróis sem nome, lutaram para tornar o nosso mundo melhor, um mundo em que os direitos humanos e a dignidade humana serão respeitados, onde seres humanos podem esperar um tratamento justo e em pé de igualdade e a implementação de mecanismos que terminam o sofrimento.

Para os nossos prezados leitores da versão portuguesa da PRAVDA, desejamo-vos o melhor de tudo no ano seguinte, um ano novo muito feliz na companhia daqueles que amam, um ano de paz e estabilidade, boa saúde, realização profissional e o fortalecimento dos laços que ligam os de bom carácter e boa vontade.

Um novo ano traz consigo uma pedra de laje limpa para começarmos de novo num espírito de irmandade, para que o Mundo em que nós vivemos possa ser um sítio melhor, para todos os seres vivos.

Existem costumes diferentes em países e continentes diferentes, contudo unem-se todas as pessoas no espírito único de amor, amor pelos familiares e entre queridos, tornando-nos numa comunidade de irmãos no mesmo planeta. Há muitas razões para esperarmos um mundo melhor n próximo ano e no espírito desta estação, que comecemos todos a dizer, “Que comece comigo”.

Lisa KARPOVA

PRAVDA.Ru

EUA/CANADÁ

Do Brasil:

Está chegando 2008! Que venha cheio de trabalho e saúde a todos nós.

Na real, me impressiona como nessa época do ano as pessoas se tornam solidárias! Nossas caixas postais se enchem de e-mails com votos de muito "$uce$$o". Nessa época é uma correria não só nos shoppings e supermercados. Asilos, orfanatos, creches e até favelas entram no roteiro. Doações de sextas básicas, brinquedos arrecadados em diversas campanhas. Viva o Natal e seus "milagres". Quase todos na função de caridosos. Que maravilha!

Nada contra esta verdadeira conscientização de final de ano extremamente salutar. O que é triste é só se lembrar dessas pessoas no final do ano. Já pensou todos fazendo isso no decorrer dos dias, das semanas, dos meses? Já pensou cada um de nós adotando uma família? Apenas uma sexta básica por mês? Afinal durante os 365 dias do ano milhões de pessoas padecem de fome, de frio, de saudades e até de esperanças. Além disso, você já fez a tua doação de sangue pelo menos? Pois é, principalmente nesta época os estoques de sangue simplesmente acabam diante de tantos acidentes nas estradas, causados principalmente pela embriagues. Tudo em comemoração das festas de final de ano.

E aquelas outras pessoas que estão esperando pela doação de órgãos? Você já foi caridoso o suficiente para avisar seus pais e amigos que em caso da sua morte todos seus órgãos deverão ser doados? É fato que existem milhões de pessoas esperando bens materiais. Mas existem milhares esperando apenas uma possibilidade de vida em 2008.

Portanto, se você não tiver nenhum bem material para doar, doe vida! Inclua nas tuas metas para 2008 maiores possibilidades em ajudar nossos semelhantes, que possamos doar o que tivermos condições, mas que não esperemos até o final do ano para tomar tais decisões. Se você for realmente cristão, independente da sua religião, siga o exemplo do Mestre, verdadeiro exemplo de amor, caridade, perdão...

Um abraço a todos e Feliz 2008!

Jefferson

BRASIL

Do Uruguai:

A LOS LECTORES DE "PRAVDA", ¡SALUD!

Los días de fin de año son, habitualmente, para las familias y los pueblos, de balance de lo ocurrido o lo hecho, y esperanzas por un mundo mejor.

El balance de este Año 2007 tiene sus aspectos negativos y positivos, si observamos, como uruguayos, los tres escenarios interdependientes: el mundial, el regional y el nacional.

Es negativa la persistencia del conflicto del Medio Oriente, por la decisión del imperialismo euroamericano, de recuperar el control de esa región geoestratégica que fue suya a raíz de la desintegración del Imperio Turco, como resultado de la Primera Guerra Mundial, olvidando que la "Historia es movimiento" y que cada punto de su recorrido es diferente al anterior porque los pueblos, a fuerza de luchar, aprenden y su conciencia política se enriquece.

Sin embargo, de tanto sufrimiento, una luz aparece en el horizonte. Estados Unidos está perdiendo la apuesta y los últimos hechos trágicos de Paquistán, indican que perderán este eslabón de su cadena, que creían seguro, y Afganistán cuyo control consideraban consolidado. ¡Elevo mis votos para que la desesperación no los lleve a un ataque a Irán!

Por otro lado, en este accionar de fuerzas contradictorias, la afirmación de la alianza estratégica entre Rusia y China, -el gran eje euroasiático- marca una tendencia irreversible hacia una estructura multipolar que será beneficiosa, en el largo, plazo, para la lucha de los pueblos por la libertad y la justicia.

En América Latina, la tendencia hacia una estructura continental independiente, se afirma, pese al revés sufrido por el Presidente Chávez -pieza fundamental de este proceso- en el último referéndum constitucional. Su papel en la mediación ante las FARC, ha mostrado su estatura internacional y, por el contrario, ha puesto a la defensiva a gobiernos como el de URIBE, convertido en marioneta de la política imperial norteamericana en la región.

Uruguay, entre tanto, gobernado por una coalición "progresista", que tiene profundas raíces antioligárquicas y antimperialistas, no encuentra una clara orientación estratégica en el contexto actual de la región y el mundo, pues en su seno hay un duro enfrentamiento entre "oportunistas pragmáticos", que defienden la tesis de un "Estado tapón" al servicio de Estados Unidos, creyendo ilusamente que esta potencia será eterna, y la "izquierda histórica" que reivindica el programa que le dio nacimiento.

Una coyuntura económica favorable, apoyada en los altos precios de los alimentos en el mercado mundial, le ha permitido al gobierno, mantener la inflación bajo control, pagar la voluminosa deuda externa y aplicar una flexible política salarial y social, con lo que las clases medias se encuentran satisfechas, otorgándole al Presidente Tabaré Vázquez, a casi tres años de su gestión, un excepcional apoyo, no conocido antes, del 52%.

¡Del rápido recorrido por estos escenarios no surge otro clamor que la Paz! Y sobre esta piedra sillar, será fundamental la lucha de los pueblos y la voluntad política de los Estados, para la construcción de un destino humano, por encima de fronteras, basado en la cooperación, la libertad y la justicia social.

Estos son mis votos para el Año 2008 y deseo compartirlos con los ilustrados lectores de "PRAVDA", periódico que nació a la vida, en 1917, para sembrar esos ideales.

Ruiz Pereyra Faget

Montevideo

URUGUAY

Portugal:

Caros leitores,
Agradecendo a atenção que os meus artigos mereceram, formulo votos que o Ano de 2008 traga aos meus leitores a realização pessoal que buscam e a Justiça Social e a Paz que todos os homens de Boa Vontade almejam.


Artur Teixeira

PORTUGAL

Peru:

Buenas noches


Para todos los lectores de Pravda en papel y en el ciberespacio , desde Perû les deseamos un Feliz y Prospero año nuevo 2008 , casi todos los dias le echo una miradita al periodico editado en la Web.


Saludos desde Perù

Júlio Wong

Peru

CONSCIENTIZAÇAO DE UMA REALIDADE

Ano Novo de 2008

O dia mais triste do ano!

Sim...é o dia mais triste do ano, para um ser HUMANO!

Como? Numerando uma infinidade de situações, não só perto, mas também, aparentemente, longe de nós!

Com uma breve lembrança do meu artigo: “A verdade e o Natal” de 2.005, onde demonstro o nosso sofrimento, pela destruição de casas (pelas chuvas) em TODO o Brasil e morte de fome de milhares de brasileiros, dada a pior distribuição de renda do Mundo; contínuo agora, comentando a morte de milhares de pessoas no Iraque e Afeganistão, que, não compreendendo as razões da invasão de suas terras por países ocidentais, pensam em se transformarem em terroristas (pois não pertencem a nenhum exercito regular) para vingarem a morte de seus parentes!

A miséria que já toma conta da Europa, onde os “extra-comunitários” assassinam e são assassinados pelos europeus, que os culpam pela crise econômica que vivem.

E o dólar, que já era?

A desonestidade, que substitui a antes querida honestidade?

A corrupção descontrolada, em TODOS os países do Mundo!

As mulheres, que depois de adquirirem muito mais direitos que possuíam, resolveram, não só não terem filhos, mas, matá-los, caso lhes aborreçam!

E os filhos, que depois de conseguirem passar incólumes dos ataques dos pais, quando crianças, passam a serem atacados pela Sociedade e a Imprensa, por estarem se drogando.

Se drogam pela separação dos pais, pela falta de AMOR dos dois, pelas mentiras lidas e ouvidas na mocidade e não repelidas pelos pais e mestres, no colégio ou em qualquer outro lugar; por exemplo: Bin Laden, grande amigo, e até sócio da família Bush, passa a ser considerado o pior assassino do Mundo, onde as razões apresentadas por Bush não são contestadas por ele, dado o direito de resposta que os Norte-Americanos estão acostumados a dar aos seus adversários.

E dizem: mas os menores poderão, pelo menos eles, se tornarem felizes nesse dia!

Nesse dia os pais lhes compram presentes, para que eles perdoem suas discussões violentas, as suas agressividades, e falta de AMOR durante o ano. E eles só têm como resposta, a falsa alegria, pois o maior presente que eles desejariam: PAZ e AMOR, eles NUNCA terão!

É...a realidade prova, que no Ano Novo só é feliz quem está morto!

Armando Costa Rocha

BRASIL

ret1@terra.com.br

http://paginas.terra.com.br/noticias/averdade