Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Sul-americana – no mata-mata, River Plate uruguaio deu uma de assassino no Vitória 4 x 1

Em uma partida histórica para o River Plate do bairro Prado de Montevidéu, o time treinado por JOTA ERRE virou assassino do Vitória no Estádio Centenario posicionando-se com chances para o jogo na Bahia tentando atingir as Quartas da Taça Sul-Americana. Mesmo assim, o Vitória ainda bem, tem Bida e poderia dar uma virada na Terça 29 em casa.

É bom salientar que o Vitória é mais um clube brasileiro que acabou dando apoio ao nosso projeto esportivo, tendo nos entregue no final do jogo no próprio vestiário a camisa oficial do time, por conta do Assessor de Imprensa desta delegação, Roque Mendes. Isso aí é fidalguia do Roque quem tendo perdido o jogo de 4 x 1 acabou concretizando a promessa do presente. Outros além da promessa, não viraram «vermelhões» não tendo entregue, quem sabe viraram «verdões».

A cada oportunidade que temos condições de ajudar os times brasileiros na área de imprensa em Montevidéu, o PRAVDA está de mãos dados com todos eles. Faz tempo, foi dando uma de guia até as cabines do Estádio Centenario junto com o Juca Pacheco dos são-paulinos e agora o Roque Mendes confiou na nossa proposta de alcançar os folders e a escalação oficiais do Vitória para narradores e comentaristas uruguaios com antecedência ao apito inicial do árbitro chileno Osses.

Foi então que esse material de divulgação do Vitória foi entregue tipo mala-direta para o Professor Ricardo Piñeyrúa (comentarista) e Martin «Martincho» Rodríguez (narrador no plantão) da CX 14 – Rádio El Espectador; para o Horacio «Tano» Abadie, repórter da CX 18 – Rádio Sport 890, para o Alberto Kesman (narrador) da CX 22 – Rádio Universal e Pablo Karslian (comentarista) da CX 12 – Rádio Oriental, todas de Montevidéu.

Quanto ao decorrer do jogo, a primeira metade da partida sofrêramos o frio nas poltronazinhas vermelhas plásticas ao ar livre mas no entretempo fomos convidados pelo Jesus Mesias – único repórter vindo da Bahia acompanhando o Vitória com a Rádio Sociedade – www.radiosociedadeam.com.br – quem completou com comentários no instante certo ao vivo para a narração que desde a Bahia montou o time de trabalho de Esportes na Sociedade.

Antes de pular em campo pela primeira vez, o vestiário do Vitória mostrava-se extremamente descontraído pois houve música eletrônica cativante e sossegada no mínimo para os nossos ouvidos e os jogadores sentados ou andando no interior não refletiam preocupação nos rostos. No final, acabaram fazendo roda e rezando todos juntos segurados pelos ombros.

No primeiro tempo, o início foi equilibrado e até parecia uma partida com dois times brasileiros no gramado pois o ida e volta constante do time do JOTA ERRE é bem mais semelhante ao estilo dos times brasileiros que aos próprios uruguaios.

O River Plate ia ficar na frente na hora que o ponteiro do relógio marcava apenas sete minutos do início do jogo. O Federico Puppo progrediu pela faixa direita do campo e a assim que percebeu que seu colega grandão argentino procurava seu melhor perfil para receber a bola, o Puppo concretizou o cruzamento de direita para esquerda do ataque alvi-vermelho e com cabeçada enxuta o Jorge Córdoba venceu a defesa do guardião colombiano do Vitória, Viáfara, que conseguiu dar uma olhada na bola entrando beijar a rede.

No eixo da meia-hora, o Leandro Domingues segurou a bola com os cadarços e começou ziguezaguear rivais vindo pela faixa central do campo entrando na grande área e chutando raso e forte mas desta vez encontrou as pernas do goleiro do River Plate, Luciano Dos Santos que esticaram-se até atingir a bola fazendo-a rebotar para fora da grande área. Foi quase gol do Vitória.

Acima do minuto 39, o Neto Berola, entrou na grande área rival requebrando para um lado e para o outro e conseguindo evoluir em campo até a área pequena, fazendo uma grande jogada a na hora que o painel do Vitória ia mudar de zero para um, o Berola acabou pifando e a bola saindo fora pela linha de fundo.

Passaram mais dois minutos e agora a chance foi do Jorge «Japona» Rodrigues para o River Plate que chutou fortíssimo de fora a grande área do Vitória mas encontrou as mãos do Viáfara expelindo a bola para o escanteio.

Houve mais um minuto de tempo suplementar que mostrou no painel eletrônico, o árbitro uruguaio no plantão Fernando Falce.

Tendo acabado o primeiro tempo, o olhar das pessoas caiu acima dos jogadores do Vitória pois um deles ia para o túnel usando a camisa do River Plate Terão achado que o árbitro chileno Osses tivesse apitado o final do jogo?

A segunda metade abriu com dois reservas do River Plate e um do Vitória esperando do lado da linha lateral no aguardo da vistoria do árbitro para pular no gramado e iniciar o jogo. O Mario Rizotto, o Andrezinho e Bida, que no final acabou sendo o melhor jogador do Vitória com apenas 45 minutos no relvado.

Tendo andando quatro minutos do segundo tempo o Jorge Córdoba furou a rede do guardião Viáfara mais uma vez mas nesta oportunidade dando um toque perfeito com a chuteira direita, Essa ia ser uma grande noitada para ele até que decidiu tirar fora a camisa do time para comemorar o segundo gol do River Plate e o seu próprio, ganhando o cartão amarelo aos poucos.

Quase na metade da desses segundos quarenta e cinco minutos, um escanteio vindo da direita do ataque do Vitória, encontrou uma cabeça rubro-negra na altitude da grande área que destinou para o zagueiro Wallace quem entrando na área pequena pela faixa esquerda encontro a bola quicando e convidou-a entrar na rede.

Tapete vermelho para essa melindrosa que ia aceitar o convite da chuteira do Wallace.

Logo foi sobe e desce pelas faixas laterais e pela central dos dois times tentando no caso do Vitória conquistar o empate que o colocasse ainda melhor no jogo na Bahia e o River, querendo esticar a diferença que melhorasse a vantagem e mudasse as caras no avião rumo ao Estádio Manoel Barradas.

Um falcão do Bida de fora a grande área encontrou as mãos do Luciano Dos Santos após um grande esforço, O River não ficou teimoso por causa do Bida e sua turma e perto dos 80 minutos, um dos brasileiros do time, André Rodrugues, bem mais conhecido como Andrezinho, começou evoluir no gramado pela faixa central fazendo empilhamento dos rivais á medida que iam ficando nas costas do canhoto e entrando na grande área pela faixa esquerda chutou enxuto e raso vencendo mais uma vez o goleiro Viáfara. Golaço do camisa dois.

Alguns minutos depois, tendo mergulhado na metade do campo propriedade do Vitória, o River começou fazer tabelinha pela faixa direita do ataque desenvolvendo o «tique-tique» famoso que treina o Jota Erre no decorrer da semana até que o «Canguro» Richard Porta, conseguiu amortecer a bola no peito e dar um toque rápido pela diagonal para o «Japona» Jorge Rodriguez, que acabou dando aquela grande chicotada rasa que venceu pela quarta vez o goleiro colombiano do Vitória.

O River Plate de Montevidéu conquistou o triunfo em casa e caso o Vitória não consiga a vitória de 3 x 0 para se classificar, vai ter que substituir os zagueiros por pedreiros para construir um muro acima da linha de fundo do campo embaixo do travessão que defende o Viáfara pois conhecendo o treinador Carrasco, não vai mandar pendurar os alunos do travessão como se fossem morcegos senão que vai colocar os passaportes dos seus jogadores embaixo da cidadela do Viáfara no decorrer dos 90 minutos. Estão querendo voltar para Montevidéu, então tentem pegar o seu, poderia dizer o Jota Erre para os seus «tique-amantes». Trata-se de um treinador extremamente «maluco» para os uruguaios, quem sabe, normal para os brasileiros.

A delegação do Esporte Clube Vitória ia decolar do Aeroporto Internacional de Carrasco rumo a Bahia ás duas e trinta da tarde da Quarta 23 de Setembro agora com o próximo objetivo no horizonte, o Botafogo no Engenhão.

JOGO: RIVER PLATE (Uruguai) x ESPORTE CLUBE VITÓRIA (Brasil)

DATA: Terça 22 de Setembro de 2009 – Horário: 21:15

ESTÁDIO CENTENARIO de MONTEVIDÉU.

ÁRBITROS: Central: Enrique Osses (Chile). 1° Bandeirinha: Cristian Julio (Chile) e 2° Bandeirinha: Sergio Roman (Chile). Árbitro no plantão: Fernando Falce (Uruguai). Inspetor de Árbitros: Gustavo Gallesio (Uruguai); Vistoria da Confederação Sul-Americana de Futebol – Carlos Alfieri (Paraguai); Médico Anti-dopagem da Confederação Sul-Americana de Futebol: José Veloso (Uruguai).

ESCALAÇÃO CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE

(01) Luciano Dos Santos (Goleiro); (03) Ronaldo Conceição – Zagueiro); (23) Sergio Bica (Zagueiro); (16) Diego Sosa (Zagueiro); (15) Gonzalo Porras (Volante); (14) William Klingender (Lateral direito); (13) Jorge «Japona» Rodríguez (Volante); (10) Jorge Zambrana (Volante); (22) Jorge Córdoba (artilheiro); (09) Federico Puppo (centroavante) e (17) Sergio Souza (Volante).

(02)

PLANTÃO: (12) Ernesto Hernández (Goleiro); (08) Luis Torrecilla (Meia); (06) Mario Rizotto (Volante); (24) Richard «Canguro» Porta (Artilheiro); Timshel Tabarez (Meia); (19) John Varela (Volante); (02) André Rodrigues (Andrezinho – Volante).

TREINADOR PRINCIPAL: Juan Ramón Carrasco – TREINADOR NO PLANTÃO: Juan Carlos Carrasco.

ESCALAÇÃO ESPORTE CLUBE VITÓRIA

(01) - Julián Viafara (capitão e goleiro); (02) Luis Dialisson de Souza Alves (Apodi - lateral direito); (03) – Wallace R. da Silva (Wallace - zagueiro); (05) Carlos Vanderson L. da Silva (Vanderson - Volante); (09) Roger Rodrigues da Silva (Roger - Atacante); (13) Fábio Ferreira da Silva (Fábio Ferreira - zagueiro); (15) Leandro S. Wanderley (Leandro – Lateral esquerdo); (16) Uelliton da Silva Vieira (Uelliton - Volante); (17) Leandro Barbosa Domingues (Leandro Domingues - Meia); (19) Sosthenes José Santos Salles (Neto Berola - Atacante) e (22) Sidney da Silva (Magal - Volante).

PLANTÃO: (07) – Carlos Alberto Silveira (Carlos Alberto – Volante); (08) Valmir Roseno Santos (Bida – Volante); (10) Marco Aurélio F. da Silva (Marco Aurélio – Zagueiro); (11) Jackson C. Silva (Jackson – Meia); (12) Gléguer Zorzim (Gléguer – Goleiro); (14) Severino do Ramo Clementino da Silva (Nino – Lateral direito) e (18) Leandro Costa Miranda Moraes (Leandrão – Atacante).

TREINADOR: Vagner Carmo Mancini.

Supervisor de Futebol Profissional: Mário Silva e Assessor de Imprensa: Roque Mendes.

RESULTADO PRIMEIRO TEMPO: RIVER PLATE 1 x VITÓRIA 0.

PROCESSO DO PAINEL: RIVER PLATE 1 x VITÓRIA 0; RIVER PLATE 2 x VITÓRIA 0; RIVER PLATE 2 x VITÓRIA 1; RIVER PLATE 3 x VITÓRIA 1; RIVER PLATE 4 x VITÓRIA 1.

RESULTADO FINAL DO JOGO: RIVER PLATE 4 x VITÓRIA 1.

ALTERAÇÕES:

RIVER PLATE: (02) André Rodrigues (Andrezinho) x (10) Jorge Zambrana; (06) Mario Rizotto x (16) Diego Sosa; (24) Richard «Canguro» Porta x (17) Sergio Souza.

VITÓRIA: (08) Bida x (05) Vanderson; (07) Carlos Alberto x (07) Magal; (14) Nino x (19) Neto Berola.

CARTÕES AMARELOS:

RIVER PLATE: (22) Jorge Córdoba (comemorando o 2° gol);

VITÓRIA: (19) Neto Berola; (16) Uelliton; (17) Leandro Domingues

GOLS:

RIVER PLATE: 07´ e 49´ - (22) Jorge Córdoba; 79´- (02) Andrezinho e 86´- (13) Jorge «Japona» Rodriguez.

VITÓRIA: 65´ - (03) Wallace.

Fotos: Repórter Jesus Mesias da Rádio Sociedade da Bahia narrando uma jogada na cabine 18 do Estádio Centenario e o treinador do Esporte Clube Vitória, Vagner Carmo Mancini fazendo o balanço do jogo no vestiário.

Correspondente PRAVDA.ru

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguai