Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Sul-Americano Futebol Praia – 2ª. Rodada

Equador 12 x Venezuela 6

Argentina 9 x Peru 3

Brasil 8 x Paraguai 1

Uruguai 5 x Chile 3

O PRAVDA é o único meio lusófono ao vivo e as cores no Estádio de Pocitos, puxa de privilégio para nós. Esse bairro Pocitos, bem mais perto do mítico Estádio Centenario que da orla montevideana, recebeu alguns jogos da Primeira Taça do Mundo de Futebol Gramado 1930 quase do lado da Antiga Estação de Pocitos. Um estádio que pertenceu ao Peñarol e hoje já não existe mas as coordenadas que alguns pesquisadores históricos jogaram acima da mesa, fizeram como que fosse encontrada a localização exata de uma das «cidadelas» daquele estádio que foi recriada construída perto do cruzamento da Rua Silvestre Blanco e Avenida Francisco Soca.

Estádio «Areias de Pocitos». Lotação: 2 mil vagas. Ingresso: Grátis.

Centro de Imprensa: Coordenador Geral da Organização: Senhor. Hans (Bélgica). Coordenador Uruguai: Edgardo Bujiano.

Vários barracos da cor branco montados na própria praia do Bairro Pocitos fazem parte do cenário no dia a dia do evento. Cada um deles com cabeçalhos que dizem: Vestiários Árbitros, Imprensa (Credenciamento), Sala de Imprensa com computadores ligados à net, e vários pontos de distribuição de um refri famoso no mundo inteiro fazem parte deste espetáculo esportivo sul-americano.

Os jogadores e o público em geral tiveram convívio com uma chuvarada extremamente forte no decorrer dos dois dias do evento até hoje (Quinta, 12 de Março) e fora isso vento cruel que refletia nas flâmulas que bracejavam penduradas nos mastros do estádio.

O Sul-Americano de Futebol Praia tem como objetivo obter três vagas para a próxima Taça do Mundo em Dubai nos Emirados Árabes de 16 até 22 de Novembro de 2009 e Brasil vai enfiando o bico rumo nem só ao Mundial senão ao Caneco do Torneio. Só Uruguai como anfitrião poderia surpreendê-lo caso ultrapassar a fase amanhã perante Argentina, caso contrário é difícil mesmo que o TRI-MUNDIAL perca um jogo.

Sempre quanto tem a ver com as duas primeiras rodadas, á média de temperatura em Montevidéu foi de 18 °C na faixa horária que atinge o torneio, aliás, das 13:15 h (início do primeiro jogo) até 18:20 h, fim do último.

Um Campeão do Mundo vestindo a camisa N° 1 de guardião do Nacional de Montevidéu em 1988 em Tóquio perante o time holandês de Romário e Keoman ainda muito novos, encarrega-se dos comentários do jogo principal, o Jorge «Superman» Seré (assim foi batizado por um narrador uruguaio ). As narrações para VTV (Rede de Televisão) foi por conta do Fabián Viudé.

É bom salientar que como diferença do futebol acima do gramado que divide os jogo em duas porções idênticas de 45 minutos, o futebol praia o divide em três partes de 12 minutos cada.

Perfeição é amigo da onça na praia pois aquele chute enxuto é muito provável possa ficar sem problemas nas mãos do guardião. Por enquanto, pifar uma bola ou até chutar de propósito «errado», fala-se raso, tão raso assim que der para que a bola faça fricção com a areia, poderia dar uma ajuda para o atacante. Chute raso poderia deslocar a movimentação «precisa» do goleiro indo rumo à bola sendo que muitas oportunidades acaba furando as redes rivais e jogando alguns palavrões dos zagueiros contra a melindrosa colorida e leve.

www.beachsoccer.com

As delegações do Sul-Americano salientam-se à seguir (entre parênteses o nome que mostrar-se na camisa).

BRASIL: (1 - Goleiro) Jenilson Rodrigues (Mão); (2) Camilo Cavalcanti (Camilo); (3) Marcelo Bueno (Bueno); (4) Roberto Araujo (Betinho); (5) Daniel Souza (Souza); (6) Federico Cabral (Fred); (7) Sidney Souto (Sidney); (8) Daniel Lima (Daniel); (9) André Nascimento (André); (10) Benjamin Silva (Benjamin); (11) Venicius Ribeiro (Buru); (12 – Goleiro) Alessandro Oliveira (Alessandro).

Capitão: Benjamin (10) – Treinador: Alexandre Soares

Delegados no plantão: Paulo Fernandes e Luiz Silva. Médico: Renato Kurtz.

PARAGUAI: (1 - Goleiro) Miguel Espínola (Espínola); (2) Alder Melgarejo (Melgarejo); (3) Héctor Bulquin (Bulquin; (4) Rodolfo Roman (Roman); (5) Fernando Mereles (Mereles); (6) Juan Melgarejo (Melgarejo); (7) Federico Mercado (Mercado); (8) Rodrigo Céspedes (Céspedes); (9) Ángel Colman (Colman); (10) Carlos Riveros (Riveros); (11) Ángelo Machuca (Machuca); (12 – Goleiro) Augusto Ayala (Ayala).

Capitão: Mereles (5) – Treinador: Ruben Darío Subeldía

Delegados no plantão: José Luis Alder e Ángel Colman. Médico: Osvaldo Insfrán.

URUGUAI: (1 - Goleiro) Diego Monserrat (Diego); (3) Ricardo Martínez (Ricar); (4) Javier Ortiz (Coco); (5) Sarandí Sobral (Pampero); (6) Martín Díaz (Martín); (7) Germán Parrillo(Parrillo); (8) Miguel Aguirrezabala (Miguel); (10) Fabián Canaveris (Fabián); (11) Matías Cabrera (Matías); (12 – Goleiro) Leandro Ortiz (Leandro).

Capitão: Diego (1) – Treinador: Venancio Ariel Ramos

Delegado no plantão: Leonel Torterolo. Médico: Flavio Telis.

CHILE: (1 - Goleiro) Matías Febre Ávila (Febre); (2) Jorge Torres (Torres); (4) Octavio Perez (Perez); (5) Víctor González (González); (6) Sergio Argote (Argote); (8) Carlos Medina (Medina); (9) Rodrigo Sanhueza (Sanhueza); (10) José Mena (Mena); (11) Cristian Olivares (Olivares); (12 – Goleiro) Rodrigo Cuevas (R. Cuevas).

Capitão: Torres (2)– Treinador: Miguel Ángel Gamboa.

Delegados no plantão: Ricardo Rodríguez e Ignacio González. Médico: Roberto Sergio.

ARGENTINA: (1 - Goleiro) Marcelo Salgueiro (Salgueiro); (2) Santiago Lóéz HIlaire (Hilaire S.); (3) Gustavo Casado (Casado); (5) Luciano Franceschini (Franceschini); (6) Agustín Dallera (Dallera); (7) César Leguizamón (Leguizamón); (9) Ezequiel Lópéz Hilaire(Hilaire E.); (10) Federico López Hilaire(Hilaire F.); (11) Facundo Munici (Munici); (12 – Goleiro) César Mendoza (Mendoza).

Capitão: Ezequiel Hilaire (9) – Treinador: Héctor Petrasso.

Delegados no plantão: Carlos Juárez e Pablo Capuchetti. Médico: Javier Swiatlo.

PERU: (1 - Goleiro) Ramón Ponce León (Ponce León); (3) Luis Oviedo (Oviedo); (4) César León (León); (5) Julio Zamora (Zamora); (8) Carlos Neuhaus (Neuhaus); (9) Eliás Drago (Drago); (11) Gionatan Salas (Salas); (14) Bratzo Gil (Gil); (15) Ángelo Castro (Castro); (22) Michael Sotillo (Sotillo).

Capitão: Zamora (5) – Treinador: Camilo Maruy.

Delegados no plantão: Enrique Polanco e Jaime Drago. Médico: Edgar Huarcaya.

VENEZUELA: (1 - Goleiro) Ubencio Antonio Reyes Fernández (Reyes); (2) Pedro Javier Romero Farías (Romero); (3) David Alexander Peñaloza (Peñaloza); (6)Germán Efraín Yumar Argotti (Yumar); (7) Edgar Alberto Quinero Uribe (Edgar); (8) Francisco Javier Landaeta (Landaeta); (10) Frangelis José Reinaldo García (Frangelis); (11) Carlos Alejandro Longa Quiñones (Longa); (12) César Fernando Vásquez Gurrea (César); (16) Kevin José Camargo Varillas (Camargo).

Capitão: Edgar (7) – Treinador:

Delegados no plantão: Wilmer E. García e Tomás Cóppola. Médico:

EQUADOR: (1 - Goleiro) Jorge Humberto León Cedeño (J. León); (4) Mario Fabricio Álava Rosario (M. Álava); (5) José Alfredo Vera Mero (J. Vera); (6) Pascual Bernabel Mero Cedeño (P. Mero); (7) Segundo Stalin Moreira Bello(S. Moreira); (8) Miguel Eduardo Bailón Pata (M. Bailón); (9) Virley Stalin Conforme Rojas (V. Conforme); (10) Roberto Carlos Majao Moreira (R. Majao); (11) Carlos Washington Macías Moreira (C. Macías).

Capitão: R. Majao (10) – Treinadores: Alcides de Oliveira e Silva Neto.

Delegados no plantão: Huerta Saldarriaga e Carlos Estrada Bonilla. Médico: Héctor Bohorquez Patiño.

Tabela de árbitros:

Javier Bentancor e Andrés Monzón (Uruguai); Juan Marcelo Canti (Argentina); René de la Rosa (Chile); Nelson Bonilla e Franklin Quesada (Costa Rica); Gonzalo Villavicencio (Equador); Ivo Santos (Brasil).

Quinta, 12 de Março – 15:45 h

BRASIL 8 x PARAGUAI 1

O Brasil acabou vencendo sem sofoco os paraguaios que logo começar perdendo empataram para logo olhar o Brasil ir embora do alcance.

Brasil entrou em campo no primeiro tempo com o goleiro Mão (1), Sidney (7), Daniel (8), André (9) e Buru (11). Na outra metade do campo os paraguaios pularam na areia deste jeito assim: Espínola (1), Mereles (5), Mercado (7), Riveros (10) e Machuca (11).

As mudanças do «painel» desde o zero x zero foram às seguintes:

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Primeiro Tércio:

Brasil: Mão (1), Camilo (2), Betinho (4), Daniel (8) e André (9).

Paraguai: Espínola (1), Mereles (5), Mercado (7), Colman (9) e Machuca (11).

BRASIL 1 x PARAGUAI 0 - Daniel (8) – 38 segundos de jogo.

BRASIL 1 x PARAGUAI 1 - Mercado (7) – 1´04”.

Cartão Amarelo: Sidney (7) – Brasil – 1´04”

BRASIL 2 x PARAGUAI 1 – André (9) – 5´04”

BRASIL 3 x PARAGUAI 1 – Buru (11) – 5´27”

Cartão Amarelo: Mercado (7) – Paraguai – 5´40”

BRASIL 4 x PARAGUAI 1 – André (9) – 7´48”

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Segundo Tércio:

Brasil: Mão (1), Camilo (2), Betinho (4), Daniel (8) e André (9).

Paraguai: Espínola (1), Mereles (5), Mercado (7), Colman (9) e Machuca (11).

Cartão Amarelo: Machuca (11) – Paraguai – 4´46”

Cartão Amarelo: Céspedes (8) – Paraguai – 6´55”

BRASIL 5 x PARAGUAI 1 – Fred (6) – 7´05”

BRASIL 6 x PARAGUAI 1 – Buru (11) – 10¨51”

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Terceiro Tércio:

Brasil: Mão (1), Camilo (2), Betinho (4), Fred (6) e Daniel (8).

Paraguai: Ayala (12), Roman (4), Mereles (5), Colman (9) e Machuca (11).

BRASIL 7 x PARAGUAI 1 – Fred (6) – 8´40”

BRASIL 8 x PARAGUAI 1 – André (9) – 11´30”

Cartão Amarelo: Roman (4) – Paraguai – 11´55”

Árbitros: 1° - Andrés Monzón (Uruguai); 2° Javier Bentancor (Uruguai); 3° Juan Marcelo Canti (Argentina) e René de la Rosa (Chile).

URUGUAI 5 x CHILE 3

O anfitrião sofrendo bastante conseguiu derrubar a Cordilheira dos Andes com dois falcões poderosos do Ricar faltando apenas 1´37” para o «apito final dos árbitros». Mesmo tendo ganho as duas primeiras partidas, Uruguai precisa empatar o jogo de amanhã no Clássico do Rio da Prata garantindo uma vaga nas Semis para o Sábado e se for possível primeiro no grupo galgando na outra faixa do Brasil.

As mudanças do «painel» desde o zero x zero foram às seguintes:

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Primeiro Tércio:

Uruguai: Diego (1), Ricar (3), Coco (4), Pampero (5) e Martín (6).

Chile: R. Cuevas (12), Torres (2), Argote (6), Medina (8) e Mena (10).

URUGUAI 1 x CHILE 0 – Martín (6) – 13”

Cartão Amarelo: R. Cuevas (12) – Chile - 8´10”

Cartão Amarelo: Perez (4) – Chile - 9´01”

URUGUAI 1 x CHILE 1 – Medina (8) – 11´14”

Cartão Amarelo: Aguirrezabala (8) – 11´14”

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Segundo Tércio:

Uruguai: Diego (1), Ricar (3), Coco (4), Pampero (5) e Martín (6).

Chile: R. Cuevas (12), Torres (2), González (5), Medina (8) e Mena (10).

URUGUAI 1 x CHILE 2 – Medina (8) – 1´59”

Cartão Vermelho: Mena (10) - Chile – 3´25” (Fora do campo no decorrer de dois minutos)

URUGUAI 2 x CHILE 2 – Matías (11) – 6´58”

URUGUAI 2 x CHILE 3 – Medina (8) – 9´04”

Cartão Amarelo: Fabián (10) - Uruguai – 11´27”

Gritos de gol, cartões e integrações no início do Terceiro Tércio:

Uruguai: Diego (1), Coco (4), Pampero (5, Martín (6) e Matías (11).

Chile: R. Cuevas (12), González (5), Argote (6), Medina (8) e Olivares(11).

URUGUAI 3 x CHILE 3 – Coco (4) – 2´52”

URUGUAI 4 x CHILE 3 – Ricar (3) – 10´23”

URUGUAI 5 x CHILE 3 – Ricar (3) – 10´50”

Cartão Amarelo: Medina (8) – 10´50”

Árbitros: 1° - Nelson Bonilla (Costa Rica); 2° Gonzalo Villavicencio (Equador); 3° Franklin Quesada (Costa Rica) e 4° Ivo Santos (Brasil).

Confira agora a tabela de jogos desta Sexta 13 de Março:

13:15 h – Paraguai x Equador

14:30 h – Chile x Peru

15:45 h – Brasil x Venezuela

17:00 h – Uruguai x Argentina

Na hora dos jogos seria bom dar um mergulho no site da (yojopo.com) pois eles estão com emissão para o mundo entrando na Tevê Uruguaia.

O PRAVDA agradece o Hans, Coordenador Geral FIFA do Torneio, que vindo da Belgica, da uma de anfitrião e tanto. Alguns minutos antes do inicio dos jogos, ele fica na Vitrine ao dispor da imprensa na Arquibancada Preferencial com folhas com uma tabelinha incrivel para nos prencher e fazer a nossa tafefa bem simples. Antes dos jogos se acabar, querendo saber se vamos precisar dos destaques para montar reportagens e tirar fotos. Brigadão.

Gustavo Espiñeira

Correspondente PRAVDA.ru

Montevidéu – Uruguai