Author`s name Timothy Bancroft-Hinchey

Basquete sul-americano: Biguá uruguaio é campeão

Em vôo raso o «pato» arrasa: Biguá Campeão Sul-Americano invicto de basquete. O time uruguaio Biguá, é Bi-Campeão Sul-Americano de basquete desde a sexta 31 de Outubro de 2008, no torneio masculino de clubes que aconteceu no poliesportivo da cidade equatoriana de Guaiaquil.

Desde o Aeroporto Internacional de Carrasco de Montevidéu, e tendo chegue no Ginásio do clube Biguá, a delegação campeã, foi parte de uma micro-conferência de imprensa na qual falaram recebendo os bate-palmas da torcida os maiores destaques desse Campeão Zerinho, o capitão, Martín «urso» Osimani, o cestinha e jogador de maior valia do torneio, Leandro García Morales, bem mais famoso como o «Lea», o Presidente da Comissão de Basquete, Pablo «Pato» Abeal, o idoso da turma e ícone do clube, Juan José «sapo» Rovira e encerrando a cerimônia o treinador argentino, Nestor «Che» García quem segurou esta barra de chefiar o time Campeão da Liga Uruguaia de Basquete 2007-2008 pois adora este tipo de responsabilidade mas além disso pelo desafio de um torneio internacional como o Sul-Americano que acabou de fechar.

Na prévia o negócio era difícil com a turma toda mas faz duas semanas que o Mauricio «Pica» Aguiar, melhor jogador do Biguá e cestinha do clube nos primeiros dezessete jogos da atual LUB 2008-2009 machucou o tornozelo esquerdo impedindo sua viagem para Guaiaquil diminuindo porém as «poucas» chances de trazer o caneco e as medalhas para o requintado bairro montevideano de Villa Biarritz.

Mas só Deus e o «Che» sabem como, mas conseguiram voltar com os canecos da vitória com uma turma muito restrita quanto ao número de jogadores que participaram na quadra naquelas partidas difíceis como foi na estréia perante o Minas Tênis de Minas Gerais, logo o Libertad de Sunchales da Argentina e mais logo o Univille de Joinville, catarinense.

Confira agora os nomes e dados dos CAMPEÕES:

1 – Santiago Vidal (Montevidéu – 19 anos – 1,70m), 4 – O jamaicano Kevin Delano Young, (Saint Andrew – 24 anos – 2,08m), 5 – Joaquín «ursinho» Osimani (Montevidéu – 21 anos – 1,90m), 8 – Juan «Juanchi» Cambón (Montevidéu – 20 anos – 1,75m), 9 – Gonzalo Carvidón (Montevidéu – 21 anos – 1,85m), 10 – Leandro García Morales (Montevidéu – 28 anos – 1,85m), 11 – Martín «urso» Osimani (Montevidéu – 27 anos – 1,92m), 12 – Guillermo Nathan (Montevidéu – 20 anos – 2,01m), 14 – Juan José «sapo» Rovira Ubal (Montevidéu – 32 anos – 1,78m), 21 - Duquese Freeman Mc Kamey ( PA – 28 anos – 2,06m), 24 - Mathías Calfani (Artigas – 16 anos – 2,00m) e 33 – Carlos Gonzalo Meira (Montevidéu – 20 anos – 1,98m).

Alejandro «Galego» Alvarez foi fundamental como treinador nesta conquista pois sempre do lado do Nestor «Che» García que é o principal e compartilhando quarto em Guaiquil, encarregava-se das pesquisas tácticas dos rivais. O «Galego» quase com certeza permaneça também na Seleção Juvenil uruguaia do lado do treinador principal, Fernando «Feiticeiro» Cabrera para o sul-americanos do ano próximo em Uruguai.

Mesmo sendo uma turma muito nova, foi destaque o Professor de Educação Física: Santiago Alfaro quem conseguiu que o «pato» voasse de jeito ímpar no mato esportivo.

Rodrigo Carvidón que no decorrer desta LUB 2008-2009 é jogador do Welcome pois foi emprestado pelo Biguá no decorrer deste ano e sentindo-se «pato» da gema como todos os campeões sul-americanos fora os dois ianques, foi um dos «anfitriões» dos amigos na hora deles voltarem do Equador.

Os jornalistas colegas das emissoras de rádio CX 18 – Sport 890 (www.sport890.com.uy) Federico Buysan, que na real é comentarista mas deu uma de narrador no Sul-Americano e CX 22 – Universal (www.22universal.com), Ademar Pérez com carimbo de narrador em Montevidéu e fora a divisa uruguaia, trouxeram ao vivo as emoções, os nervos, os tempos suplementares e a vontade de roer as unhas de todos aqueles que ficáramos no Uruguai de olho neste evento internacional da elite sul-americana do basquete de clubes masculino adulto.

O Campeão Olímpico argentino em Atenas 2004, Ruben «colorado» Wolkowiski acabou de assinar contrato com o Biguá semana retrasada ficando de lado do palco no qual os vitoriosos comemoravam o último triunfo internacional uruguaio. Preparava-se para o primeiro treino ás 20 h desse dia pois a LUB não poderia esperá-los mais um minuto.

Com certeza que o Nestor García, encontrou uma turma bem mais importante daquela que ele achou tinha na hora de decolar desde Montevidéu rumo a Guaiaquil pois foram muitos os sub-23 que mostraram grande hierarquia em um evento internacional quicando a bola com qualidade, furando redes com arremessos de todos os cantinhos da quadra e encontrando uma engrenagem perfeita do time mesmo fazendo alterações constantes.

Biguá quebrou o jejum de títulos internacionais quanto a clubes se refer após 16 anos, ano no qual também foi ele quem arvorou o caneco de campeão no Cilindro Municipal de Montevidéu. Fora Uruguai, foi o antigo decano do basquete uruguaio, Sporting Clube do Uruguai, agora seu herdeiro desde 1989, Defensor Sporting Clubeo clube «charrua» que tinha ganho o caneco demelhor faz meio século.

O treinador argentino «Che» García confirmou ter mantido conversas com seus colegas brasileiros do Minas Tênis e Univille, falando para eles que quase todos os jogadores da turma do Biguá pertencem ao berço do clube, tendo nascido nas categorias de base do clube, motivo pelo qual perceberam que nem só são profissionais do basquete senão que suam suas camisas pelo amor ao clube.

A tabela de clubes participantes detalha-se a seguir:

Biguá (Uruguai), Minas Tênis (Campeão Sul-Americano 2008) e Univllle (Brasil), Libertad de Sunchales (Argentina), Colegio Mixto (Chile) e Barcelona (Equador).

Por enquanto, o torneio teve como esqueleto cinco rodadas de três partidos cada, e o Biguá deu início vencendo o Minas Tênis 84 x 77 para continuar obtendo mais quatro vitórias em cachoeira perante os times, Libertad de Sunchales 90 x 89 (após tempo suplementar), Barcelona 96 x 54, Univille 81 x 79 (após tempo suplementar) e tendo obtido o carimbo de campeão e quase como jogo de confraternização, o Liceo Mixto 71 x 65, sem jogar na quadra o Leandro García Morales, Martín Osimani e Kevin Young no decorrer dos quarenta minutos.

O uniforme oficial do pato é azul, camisa, calção e meias com números brancos e pode imaginá-lo de alternativa dando uma virada nestas duas cores. A logomarca, é um pato voando raso. Da para imaginar o campeão sul-americano agora?

Será que com o Mauricio «Pica» Aguiar vestindo a camisa 6 do Biguá o time tivesse trazido o caneco de campeão? Dúvida eterna, não é? O que sim é realidade que o «Pica» foi um dos anfitriões da turma campeã compartilhando o ônibus do barulho, as piadas e as comemorações desde o Aeroporto até o clube, ainda com uma tornozeleira tipo grande meia abrangendo sua perna esquerda apenas por baixo do joelho deixando fora os dedos do pé. Tudo deu pé para o «Pato» de Villa Biarritz no ambiente internacional e agora fica de olho na LUB 2008-2009 procurando nos próximos dias entrar no torneio «Super Quatro» (os quatro melhores times da fase Classificatória) que vão brigar pelo número um, ou seja, a vaga uruguaia para mais um torneio internacional como a Liga das Américas. Logo concorre a mais um caneco: a própria LUB 2008-2009 que vai encerrar em março próximo.

Tendo lido nossa matéria, só agora pode dar um mergulho no site do Campeão Sul-Americano de basquete masculino adulto e mesmo montado em espanhol, com certeza vai quebrar o galho. www.biguabasket.com

Ao vivo desde o barzinho «Lo de Silverio», hoje de madrugada, o programa de rádio «Último Quarto» que dirige o ex árbitro de basquete e apaixonado pelo carnaval, Gustavo Seijas, participaram alguns dos campeões e diretoria da Comissão de Basquete, compartilhando comentários desta vitória uruguaia fora da divisa.

O Presidente, Pablo «Pato» Abeal, confirmou que foi extremamente importante a participação de um conhecido no ambiente internacional pela tarefa feita nas Categorias de Base das Seleções uruguaias como o Francisco «Pancho» Castellanos, um gordinho bem mais do que simpático, que se movimentou muito bem no ambiente da Consubasket pois já tem muitas batalhas nos escritórios dos torneios internacionais.

Mesmo tendo jogado com a camisa do Biguá, nós fomos Uruguai, remarcou o «Pato» Abeal no início desta madrugada.

O irmão caçulo dos Osimani, Joaquín e o «Sapo» Rovira, compartilharam «maluquices» lindas do grande treinador argentino Nestor «Che» García, quem procura deixar a cada instante um pingo de ensino naquilo que ele fala e sem dúvida que trata-se de um sábio que cativa os jogadores com seu jeito de ser profissional. É mesmo uma referência na turma e isso faz bem sempre pois precisa-se de «chefões» e hierarquias para atingir alvos.

A Comissão de Basquete do clube Biguá, tinha por membros lá em Guaiaquil, o Presidente Pablo «Pato» Abeal, Luis Alberto «Chiqui» Scorza, Francisco «Pancho» Castellanos, José Guerrero e Gastón Chidia.

O Leandro García Morales foi o cestinha do sul-americano de clubes campeões com 90 pontos nas quatro partidas jogadas pelo jogador da seleção uruguaia com uma média de 23.5 pontos tendo conseguido 44 pontos, quase a metade do time em um dos jogos mais difíceis do torneio, perante o Libertad de Sunchales, que encerrou com resultado de 90-89 para os uruguaios.

Como fala o hino do Biguá com som de «murga» (música típica do carnaval uruguaio). Despedimo-nos assim:

Pato, força pato !!!.

Informação complementar do torneio pode procurar acessando o site da Fiba-América – www.fibaamerica.com

O PRAVDA agradece as informações fornecidas pelo Sr. Horacio Rodríguez Doldán do Clube Biguá.

Correspondente PRAVDA.ru

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguai